Sri Lanka. Um bombista suicida já tinha estado preso

O pai de dois dos bombistas suicidas envolvidos no atentado está detido por suspeita de ajudar os filhos

Um homem identificado como sendo um dos bombistas suicidas envolvidos no atentado no domingo de Páscoa no Sri Lanka já tinha sido preso e depois libertado. A informação foi avançada esta quinta-feira por um porta-voz do governo do Sri Lanka à CNN.

Trata-se de Ilham Ahmed Ibrahim, um dos dois filhos de um magnata das especiarias que se explodiu nos nos atentados suicidas no domingo de Páscoa, que causaram a morte de 359 pessoas, segundo os últimos dados oficiais. De acordo com a mesma fonte, o bombista suicida detonou um dispositivo no Cinnamon Grand Hotel, em Colombo.

Ilham Ahmed Ibrahim e o irmão Imsath Ahmed Ibrahim estão entre os bombistas suicidas que foram identificados pelas autoridades

Anunciada detenção de pai de dois homens-bomba

O pai dois bombistas suicidas foi, entretanto, detido por suspeita de ajudar os filhos, anunciou esta quinta-feira o ex-chefe da Marinha do Sri Lanka.

Jayanath Colombage, que agora é especialista em contraterrorismo na Fundação Pathfinder, confirmou a prisão do pai dos bombistas em declarações à Associated Press.

A polícia do Sri Lanka ainda não prestou declarações sobre esta detenção.

Segundo o porta-voz da polícia, Ruwan Gunasekara, foram detidos mais 18 suspeitos de ligação aos atentados, elevando o total para 58.

Português morre nos ataques

O Governo afirmou que os ataques foram realizados por fundamentalistas islâmicos em aparente retaliação ao massacre nas mesquitas da Nova Zelândia em março, mas disse que os sete bombistas suicidas eram todos do Sri Lanka.

O grupo extremista Estado Islâmico reivindicou também na terça-feira a autoria dos atentados contra igrejas e hotéis de luxo.

Um português residente em Viseu está entre as vítimas mortais das oito explosões de domingo que causaram mais de 500 feridos.

A capital do país, Colombo, foi alvo de pelo menos cinco explosões: em quatro hotéis de luxo e uma igreja.

Duas outras igrejas foram também alvo de explosões, uma em Negombo, a norte da capital e onde há uma forte presença católica, e outra no leste do país.

A oitava e última explosão teve lugar num complexo de vivendas na zona de Dermatagoda.

As primeiras seis explosões ocorreram "quase em simultâneo", pelas 08:45 de domingo (04:15 em Lisboa).

Exclusivos

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O voluntariado

A voracidade das transformações que as sociedades têm sofrido nos últimos anos exigiu ao legislador que as fosse acompanhando por via de várias alterações profundas à respetiva legislação. Mas há áreas e matérias em que o legislador não o fez e o respetivo enquadramento legal está manifestamente desfasado da realidade atual. Uma dessas áreas é a do voluntariado. A lei publicada em 1998 é a mesma ao longo destes 20 anos, estando assim obsoleta perante a realidade atual.