Parlamento aprova despenalização do aborto até às 14 semanas

Resultado da votação foi incerto até ao final da votação devido às divergências nas bancadas do Governo e da oposição

O parlamento da Argentina aprovou esta quinta-feira, com 131 votos a favor e 123 contra, uma lei para despenalizar o aborto até às 14 semanas de gestação, que agora transita para o Senado para eventual aprovação definitiva.

O resultado, em que houve uma abstenção, foi incerto até ao final da votação devido às divergências não só na bancada do Governo, mas também nas da oposição, num debate que durou 23 horas desde o início na manhã de quarta-feira.

O texto aprovado despenaliza qualquer interrupção voluntária da gravidez até às 14 semanas de gestão, e não contempla apenas os motivos atualmente em vigor de violação ou perigo de saúde da mãe, e estabelece que se a grávida tiver menos de 16 anos de idade, o aborto deve realizar-se com o seu consentimento.

Ler mais

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...