Milionários dão 300 milhões para reconstrução. Mas já há 600 milhões disponíveis

Bernard Arnault, o dono do grupo de luxo LVMH e primeira fortuna de França, anunciou uma doação de 200 milhões de euros para ajudar à reconstrução da catedral, juntando-se assim à segunda maior fortuna do país, a de François Pinault, que na véspera anunciara uma doação de cem milhões. Mas as doações já vão nos 600 milhões de euros.

"A família Arnault e o grupo LVMH querem mostrar a sua solidariedade neste momento de tragédia nacional, e junta-se ao esforço para reconstruir esta extraordinária catedral, que é um símbolo de França, da sua herança e da sua união", podia ler-se num comunicado emitido pela família de Bernard Arnault.

O milionário dono do grupo LVMH, que detém marcas de luxo como a Louis Vuitton ou os champanhes Moët & Chandon, anunciou esta manhã a doação de 200 milhões de euros para a reconstrução da catedral de Notre-Dame, devastada na segunda-feira à noite por um violento incêndio.

Segundo a Forbes, a fortuna de Arnault anda nos 91,7 mil milhões de dólares - pouco mais de 81 mil milhões de euros -, fazendo dele o quarto homem mais rico do mundo.

Arnault juntou-se assim a François Pinault que na segunda-feira à noite foi o primeiro milionário francês a responder ao apelo do presidente Emmanuel Macron para que uma recolha de fundos para ajudar à reconstrução da catedral com mais 850 anos.

"Esta tragédia está a atingir todos os franceses e muitos mais, todos aqueles ligados aos valores espirituais", afirmou François-Henri Pinault, de 56 anos, filho de François Pinault, empresário e fundador da holding Artémis e do grupo Kering (dono de marcas como a Gucci, Yves Saint Laurent, Boucheron, que já deteve também a La Redoute a Fnac).

30.º homem mais rico do mundo, François Pinault, de 82 anos, tem uma fortuna avaliada pela Forbes em 35,2 mil milhões de euros. O filho, François-Henri, famoso também pelo casamento com a atriz Salma Hayek, garantiu ainda no mesmo comunicado que: "Perante esta tragédia, todos querem devolver a vida a esta joia do nosso património o mais rapidamente possível".

Entretanto, soube-se que a Câmara de Paris desbloqueará 50 milhões para a recuperação da Catedral. E o grupo de cosmética L'Oréal também disponibilizou 200 milhões de euros com o mesmo fim e o magnata francês François Henri Pinault, um dos grandes mecenas de arte em França, doará 100 milhões para as obras em Notre Dame. A somar ainda a verba de 100 milhões de euros anunciada pela companmhia petrolífera francesa Total.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".