Estudantes avisadas: saias curtas "distraem rapazes e professores"

Foi pedido a raparigas adolescentes num liceu neozelandês que usassem saias mais compridas para não causarem distrações na escola

Um liceu neozelandês pediu às suas alunas que usassem saias mais compridas para não "distraírem" os colegas e os professores do sexo masculino. De acordo com o jornal The Guardian, 40 alunas do 11.º ano no liceu de Henderson, em Auckland, foram chamadas a uma reunião onde lhes foi dito que as bainhas das saias teriam de descer.

A diretora do liceu, Cherith Telford, terá dito às alunas nessa reunião que a mudança no comprimento das saias, até ao nível do joelho, tinha a intenção de "manter as raparigas seguras, impedir os rapazes de ficar com ideias, e criar um bom ambiente de trabalho para os funcionários e professores do sexo masculino".

Pais, estudantes e personalidades públicas criticaram a decisão do liceu de Auckland. Uma estudante do liceu citada pelo The Guardian afirmou não ter problema com um código de vestuário, mas que era o raciocínio a justificá-lo que a preocupava. Para Sade Tuttle, o problema está no facto de o código de vestuário ser dirigido apenas às raparigas, responsabilizando-as por distraírem os rapazes.

"Estou muito irritada com isto", disse a comentadora feminista Deborah Russell, professora universitária. "Passa a mensagem de que as mulheres são responsáveis pelo comportamento sexual dos homens, e também envia uma mensagem desagradável aos jovens rapazes de que o seu comportamento sexual não é controlável".

Exclusivos