Diretora de infantário chinês despedida após dança do varão no início do ano letivo

Mulher pretendia ensinar uma nova coreografia às crianças, afirmou

As autoridades da cidade de Shenzhen, sul da China, anunciaram esta quarta-feira a demissão da diretora de um infantário local após esta ter incluído a dança do varão na festa de início do ano letivo.

"O objetivo era ensinar às crianças um novo tipo de dança", explicou Lai Rong, a responsável pelo infantário Xinshahui, citada pela imprensa local.

Vídeos e fotografias registados pelos pais, e que se tornaram virais na Internet chinesa, mostram uma mulher de calções pretos, blusa decotada e salto alto a fazer acrobacias num varão, para uma plateia composta por crianças.

"As crianças são muito simples, não terão tido pensamentos complexos sobre o espetáculo", garantiu Lai.

"Eles apenas acham fantástico que alguém consiga fazer aqueles movimentos", disse.

As cerimónias do início do ano letivo na China são normalmente solenes e incluem o hastear da bandeira nacional da República Popular da China, ao som do hino do país.

Neste caso, a bandeira chinesa foi hasteada no próprio varão.

Segundo relatos dos pais, em julho passado, a mesma escola recebeu dez dias de "atividades militares", que incluíram exibições de metralhadoras e morteiros à entrada do estabelecimento.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.