Carlos faz 70 anos e há duas fotos da família real para celebrar

Príncipe herdeiro foi fotografado com a mulher, os filhos, noras e netos.

O príncipe Carlos faz esta quarta-feira, 14 de novembro, 70 anos. Para assinalar a data, a Clarence House, residência oficial de Carlos e de Camilla, divulgou duas fotografias do príncipe com a família: a mulher, os dois filhos, William e Harry, e as noras, Kate Middleton e Meghan Markle. No retrato estão também os netos de Carlos, os três filhos dos duques de Cambridge.

Por ocasião do 70.º aniversário do príncipe, Carlos e Camilla marcarão presença numa festa para celebrar os exemplos de outras 70 pessoas que também completam os 70 anos em 2018, indica a BBC. E pelas 13:00, na Torre de Londres, o herdeiro do trono britânico será celebrado com salvas de tiros, soando em simultâneo os sinos da abadia de Westminster.

Nas redes sociais, a Clarence House partilhou ainda uma mensagem de parabéns ao príncipe, com uma montagem de fotografias de várias décadas, mostrando-o em várias ocasiões: a praticar desportos, com a família ou no cumprimento dos deveres reais.

Já o Palácio de Buckingham divulgou 70 factos sobre Carlos para assinalar a data. Ficou a saber-se, entre outras curiosidades, que o príncipe herdeiro não almoça, que gosta de pintar e já teve um quadro em exposição que foi submetido de forma anónima, ou mesmo que Carlos foi o primeiro herdeiro ao trono britânico a licenciar-se: estudou arqueologia e antropologia no primeiro ano na universidade de Cambridge, mas acabou por se formar em história.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...