Bolsonaro demite ministro moderado por falta de alinhamento ideológico

O General Santos Cruz é a primeira baixa militar e é o terceiro ministro a deixar o governo. É substituído por outro general, Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira.

Há mais uma baixa no governo de Jair Bolsonaro. O presidente brasileiro demitiu esta quinta-feira o ministro Carlos Alberto dos Santos Cruz, o general que tinha a pasta da Secretaria de Governo da Presidência da República, por existir uma "falta de alinhamento político-ideológico", avança o jornal O Globo. O militar era da ala moderada do governo e tinha já alertado para os riscos do extremismo.

De acordo com a publicação, o general foi informado da decisão durante uma reunião com Bolsonaro, onde também esteve Fernando Azevedo e Silva, ministro da Defesa, e Augusto Heleno, o responsável máximo pelo Gabinete de Segurança Institucional. Para o cargo foi nomeado outro general, Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira.

Carlos Alberto dos Santos Cruz estava a ser alvo de críticas por parte dos filhos do presidente, mas também do escritor e filósofo Olavo de Carvalho, considerado "guru" de Bolsonaro.

Críticas de "guru" de Bolsonaro na origem da demissão

O general não escondeu o incómodo perante as críticas do escritor à ala militar de Bolsonaro, sobretudo as que foram dirigidas ao vice-presidente, o general Hamilton Mourão, que foi rotulado de "idiota" e "estúpido". Olavo de Carvalho disse ainda: "Não o critico, desprezo-o". Em resposta a estas declarações, Carlos Alberto dos Santos Cruz considerou que o escritor era "desequilibrado".

É a primeira baixa militar e a terceira saída de um ministro do governo brasileiro, depois de de Gustavo Bebianno, da Secretaria-Geral, e de Ricardo Vélez Rodríguez, da Educação.

Segundo O Globo, Bolsonaro já se tinha decidido pela exoneração do ministro em maio, mas a ala militar tentou manter Carlos Alberto dos Santos Cruz no executivo.

Até ao momento, o Planalto ainda não fez nenhum comentário sobre o caso.