Ataque à faca fere sete pessoas em Paris

Segundo o Le Parisien, o atacante foi preso e não há indícios de que se tenha tratado de um ataque terrorista

Sete pessoas ficaram feridas, quatro das quais gravemente, na sequência de um ataque que ocorreu na noite deste domingo em Paris com recurso a uma faca e a uma barra de ferro por parte de um indivíduo do sexo masculino, adianta o Le Parisien .

O incidente ocorreu por volta das 22.45 locais (21.45 em Lisboa) nas docas de La Loire, tendo o atacante inicialmente esfaqueado três pessoas no cinema MK2. Alguns homens que estavam a jogar petanca nas proximidades tentaram impedi-lo, tendo um deles lhe atirado uma bola, conseguindo atingir o atacante.

Entretanto, o atacante prosseguiu pela rua Henri Nogueras, uma perpendicular à rua em que decorreu ataque. Nesta rua, o atacante feriu dois turistas ingleses, um dos quais na zona do peite. O outro sofreu ferimentos na cabeça.

O atacante, que também ficou ferido, acabou por ser detido pelas autoridades. Foi identificado como sendo maior de idade e com nacionalidade afegã.

De acordo com informações recolhidas pelo Le Parisien, os quatro feridos graves estão atualmente nos cuidados intensivos nos hospitais de Lariboisière, Percy e Foch.

Entretanto, foi confiada ao segundo distrito da Polícia Judiciária uma investigação com base na tentativa de homicídio, não havendo para já provas de que se tenha tratado de um ataque terrorista.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.