A repentina crise de ciática de Juncker na cimeira da NATO

Presidente da Comissão Europeia, Jean Claude-Juncker, surgiu visivelmente debilitado numa das cerimónias realizadas no âmbito da cimeira da NATO em Bruxelas. Foi ajudado por vários líderes. Entre os quais António Costa e Mark Rutte

Para celebrar o encontro de chefes do Estado e de governo da NATO, os aliados juntaram-se na quarta-feira à tarde numa cerimónia no Parque Cinquentenário, em Bruxelas, para a qual foram convidados os líderes das instituições da União Europeia.

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, que horas antes tinha assinado um acordo para reforçar a cooperação entre a União Europeia e a NATO, foi visto em dificuldades, tendo sido ajudado por vários dos líderes presentes, entre os quais os primeiros-ministros de Portugal António Costa e da Holanda Mark Rutte.

Alguns dos presentes ajudaram o presidente da Comissão Europeia, movendo-se com dificuldade, visivelmente debilitado. Antonio Costa esclareceu hesta quinta-feira, na conferência de imprensa, que "sim" sabia o que se passou com o luxemburguês. "Ciática. Só a ciática", respondeu sucintamente o primeiro-ministro ao repórter da Associated Press, que filmou a cena.

Rutte, por seu lado, também questionado pelo jornalista da AP, respondeu: "Ele não tem nenhuma doença grave. Pelo que sei sofre de dores nas costas desde há algum tempo. E, de vez enquando, tem crises de dores".

O chefe do governo holandês remeteu mais detalhes para o gabinete de Juncker, mas este, até ao momento, escusou-se a fazer considerações sobre a vida pessoal do presidente da Comissão Europeia. Ex-primeiro-ministro do Luxemburgo, Juncker tem 63 anos.

No mês passado, após comparência no Parlamento na Irlanda, Juncker sentiu-se obrigado a dar explicações: "Tenho dificuldades em andar. Não estou bêbado. Tenho ciática. Antes estar bêbado".

Em Bruxelas

Ler mais

Exclusivos