O desespero em Kemerovo. Maioria das vítimas eram crianças

O centro comercial que ardeu na Rússia domingo era um destino popular para famílias e estava cheio de pais e filhos no primeiro dia das férias escolares

Pelo menos 64 pessoas morreram no incêndio que destruiu no domingo um centro comercial na cidade russa de Kemerovo, na Sibéria, confirmou o ministro das situações de emergência, numa altura em que falta recuperar seis corpos. Maioria das vítimas eram crianças.

O centro comercial em causa era um destino popular para famílias e estava cheio no domingo, o primeiro das férias escolares, quando deflagrou o incêndio.

A CCTV divulgou um vídeo onde se vê o momento em que tem início o fogo, e a forma como as primeiras pessoas tentam fugir do local.

Segundo as investigações preliminares, o alarme anti-incêndios do edifício não foi acionado, pelo que as pessoas que ali se encontravam só se aperceberam do fogo quando um fumo denso invadiu o centro comercial

Em declarações à televisão, Vladimir Puchkov disse que os bombeiros já verificaram todos os quatro pisos do centro comercial.

Segundo informou o centro de crise, duas das salas de cinema abateram por causa do incêndio.

Em vídeos gravados por testemunhas durante a noite, viam-se visitantes do centro comercial a saltar pelas janelas para fugir às chamas.

De acordo com investigações preliminares, o alarme anti-incêndios do edifício não foi acionado, pelo que as pessoas que ali se encontravam só se aperceberam do fogo quando um fumo denso invadiu o centro.

As equipas de bombeiros demoraram mais de seis horas a controlar as chamas, que alastraram a uma superfície de 1.500 metros quadrados.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.