Hotel suíço oferece quarentena de luxo com teste para covid-19 incluído

Assistência médica 24 horas por dia, refeições feitas por um chef conceituado e ainda a possibilidade de realizar o teste para covid-19.... por um preço. Este é o pacote para uma quarentena de luxo que o hotel Le Bijou está a disponibilizar. Desde que o serviço foi anunciado, as reservas não param de aumentar.

O turismo é um dos setores mais afetados pela crise que o mundo está a viver devido à pandemia de covid-19, mas há empresas que tentam contrariar a tendência e adaptar-se aos novos tempos. É o caso da cadeia de hotéis suíça Le Bijou, que está a ser notícia em todo o mundo por disponibilizar um pacote de serviços para uma quarentena de luxo, que até inclui a realização de um teste para detetar o novo coronavírus.

"Covid-19 Service" é o nome do pacote que a unidade hoteleira está a disponibilizar aos seus hóspedes uma estada personalizada, de acordo com o que o mundo está a viver. Inclui cuidados de saúde 24 horas por dia no quarto, prestados por uma clínica privada, a Double Check. Os tratamentos são à la carte, podem ser adquiridos separadamente de acordo com as necessidades dos clientes. O teste para o novo coronavírus, por exemplo, pode ser realizado por 460 euros. Os serviços de cuidados de saúde no quarto de cada hóspede podem chegar aos cerca de 6 mil euros.

Com esta quarentena de luxo é também disponibilizada a entrega de refeições que são feitas por um chef único por cada reserva. Quem adquirir este serviço realiza um check in e out automáticos para que seja evitado o contacto social.

"No início de março, as receitas caíram significativamente", disse ao The Washington Post Alexander Hübner, cofundador e executivo chefe do Le Bijou Hotel & Resort, que gere propriedades em Basileia, Genebra, Zurique e outras cidades da Suíça. "Dissemos, ok, precisamos reagir imediatamente a isto."

E foi o que fizeram. Com as companhias aéreas a cancelar milhares de voos, as fronteiras de muitos países fechadas e os cidadãos de vários partes do planeta em isolamento, fechados em casa, a empresa decidiu dar a volta à situação com a prestação de serviços pouco habituais em unidades hoteleiras, mesmo sendo de luxo.

A queda de reservas acentuava-se à medida que a pandemia ia evoluindo na Europa, mas, ainda assim, o hotel recebia pedidos de pessoas que queriam ter um isolamento sofisticado, com visitas domiciliárias de médicos, de modo a não terem que se deslocar aos hospitais, que estão cada vez mais assoberbados com o elevado número de casos de infeção pelo novo coronavírus.

Embora o hóspede tenha à sua disposição, no quarto, cuidados de saúde personalizados, o hotel não inclui nesta quarentena os serviços de limpeza diários habituais. Os quartos são higienizados antes e após a saída dos clientes. A unidade hoteleira refere ainda que a equipa de limpeza usa máscaras e luvas, de acordo com as medidas aprovadas pelo governo suíço para travar a propagação do novo vírus.

Desde que o pacote "Covid-19 Service" foi anunciado na rede social Facebook, as reservas não param de aumentar. "No inicio, tínhamos apenas duas por dia. Agora aumentamos para quatro, cinco, seis por dia, e começamos, eu acho, há uma semana, dez dias", refere Hübner.

A cadeia de hotéis na Suíça aconselha, no entanto, a todas as pessoas que testem positivo para covid-19 a não se deslocarem às unidades hoteleiras do grupo, uma vez que nessas situações é recomendado pelas autoridades de saúde o isolamento. "Têm de ficar em quarentena. Não devem sair caso tenham resultados positivos", refere o responsável pelo Le Bijou.

Este hotel não o único no mundo a tentar reverter a forte quebra de receitas, Na Ásia, existem hotéis com programas semelhantes.

Em toda a Ásia, escreve o The Washgton Post, os hotéis estão promover pacotes de quarentena que prometem taxas reduzidas para estadias de 14 dias e, entre os serviços disponibilizados, está o transporte especial para deslocações a hospitais, sempre que seja necessário.

Já o Novotel Sydney Brighton Beach, na Austrália, oferece um pacote de 14 dias de quarentena a que deu o nome de "Home Away from Home" ("Casa Fora de Casa", em tradução livre).

O novo coronavírus já matou mais de 20 mil pessoas em todos o mundo, desde que foi detetado em dezembro do ano passado na China. Mais de 440 mil pessoas foram diagnosticadas com covid-19 em 182 países e territórios, segundo os dados recolhidos, esta quarta-feira, pela AFP.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG