Hospital quebra regras para cumprir o último desejo de doente

Homem de 75 anos à beira da morte pediu um cigarro e um copo de vinho

Os enfermeiros de um hospital na Dinamarca foram contra o regulamento interno para que se cumprisse o último desejo de um homem à beira da morte. Carsten Flemming Hansen, de 75 anos, pôde fumar um último cigarro e beber um último copo de vinho branco enquanto observava o pôr-do-sol, após os médicos perceberem que nada podiam fazer para o salvar.

Carsten deu entrada no Hospital Universitário de Aarhus com uma rutura de um aneurisma da aorta e uma hemorragia interna, conta o The Guardian. Os médicos decidiram não operar o doente e o hospital concedeu-lhe um último desejo para ter uma morte digna, prevendo que morreria em questão de horas ou dias.

A imagem de Carsten na varanda do hospital a fumar e a beber vinho foi publicada na passada sexta-feira no Facebook do hospital. Recebeu mais de 70 mil gostos e foi partilhada quase cinco mil vezes.

Na publicação, os enfermeiros explicam que realizar este desejo era mais importante do que qualquer tratamento ou do que as regras do hospital contra o tabaco.

Carsten esteve sempre acompanhado pela família num ambiente "aconchegante e tranquilo", disse a enfermeira Rikke Kvist. "Claro que os familiares foram afetados pelo facto de ele estar a morrer e estavam tristes", concluiu.

No Facebook, Mette Guldbech Demuth, filha do paciente, agradeceu ao hospital e a todos aqueles que têm deixado comentários positivos na fotografia.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG