Homem morreu após cigarro eletrónico explodir

Esta terá sido a primeira morte causada por um aparelho deste género nos EUA

Um norte-americano morreu depois da caneta vaporizadora que usava ter explodido. Fragmentos do aparelho perfuraram o crânio de Tallmadge D'Elia, que sofreu ainda queimaduras em mais de 80% do corpo.

A explosão do cigarro eletrónico, fabricado pela Smok-E Mountain, causou um incêndio no quarto onde estava o produtor de televisão, de 38 anos, que vivia com a família na Florida.

Segundo a BBC, esta terá sido a primeira morte causada por um aparelho deste género nos EUA.

Segundo o médico-legista, citado no jornal Tampa Bay Times, a causa oficial da morte foi um "ferimento na cabeça causado por um projétil".

Durante a autópsia foram encontrados dois pedaços da caneta vaporizadora no crânio da vítima.

De acordo com dados dos bombeiros dos EUA, entre 2009 e 2016 ocorreram 195 incidentes relacionados com explosões e incêndios envolvendo cigarros eletrónicos, que resultaram em 133 feridos, 38 deles graves.

Em 2015, um destes aparelhos explodiu perto do rosto de um homem do Colorado, de 29 anos, fraturando-lhe o pescoço e partindo-lhe vários dentes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG