Hollande anuncia que não se recandidata à presidência de França

Socialista está no poder desde 2012. Decisão abre caminho a uma candidatura do primeiro-ministro Manuel Valls

"Movo-me apenas pelo interesse superior do país. A experiências trouxe-me a humildade necessária à minha tarefa", afirmou François Hollande numa intervenção ao país a partir do Eliseu, em que garantiu que não se vai recandidatar. O chefe do Estado francês garantiu ainda que "como presidente tenho o dever de dirigir o Estado. Como socialista, não posso aceitar a divisão da esquerda". Por isso "decidi não ser candidato a um novo mandato", explicou Hollande, que chegou ao poder em 2012.

Nos últimos meses, especulara-se sobre uma eventual recandidatura de Hollande, cuja popularidade insiste em manter-se abaixo dos 20%. O anúncio de que não é candidato à reeleição - uma novidade em França, onde todos os presidentes da Quinta República tentaram um segundo mandato - abre caminho para o primeiro-ministro Manuel Valls avançar.

Numa entrevista ao Journal du Dimanche, o chefe do governo deixara no ar a hipótese de avançar para umas primárias da esquerda, mesmo que Hollande se recandidatasse. Agora sem o chefe do Estado na corrida, tem luz verde.

Anúncio de François Hollande surge depois da vitória de François Fillon nas primárias da direita. O ex-primeiro-ministro derrotou à segunda volta outro anterior chefe do governo francês, Alain Juppé, depois de ter deixado para trás na primeira volta vários candidatos, entre eles o ex-presidente Nicolas Sarkozy.

Já na corrida ao Eliseu estão o ex-ministro da Economia, Emmanuel Macron, que deixou o governop após lançar o seu movimento En Marche!, e a líder da Frente Nacional (de extrema-direita), Marine Le Pen.

As últimas sondagens dão a vitória a Fillon na primeira volta e a passagem de Le Pen à segunda. Numa segunda volta, o candidato da direita venceria por larga margem.

Exclusivos