Historiador russo detido quando tentava desfazer-se de corpo de ex-aluna

Oleg Sokolov foi encontrado pelas autoridades russas, no rio Moika, em São Petersburgo, quando se desfazia do corpo da aluna de 24 anos.

O historiador russo Oleg Sokolov, de 63 anos, conhecido pelo seu trabalho sobre Napoleão Bonaparte foi preso, este sábado, pelo homicídio de uma ex-aluna. O professor da Universidade de São Petersburgo foi encontrado no rio Moika a desfazer-se do corpo e já terá confessado o crime, segundo o seu advogado, citado pela BBC.

"Um homem de 63 anos foi retirado no sábado de manhã das águas do rio Moika, no centro da cidade. Na sua mochila encontravam-se dois braços de mulher. Ele é suspeito de assassinato", indicaram as autoridades russas, em comunicado. Oleg Sokolov terá caído à água por se encontrar bêbado, quando se desfazia do corpo cortado em pedaços. Preparava-se para se suicidar depois, vestido de Napoleão, de acordo com a informação que prestou às autoridades, depois de confessar o crime.

A vitima é Anatasia Echtchenko, uma estudante de 24 anos, que chegou a assinar trabalhos com o historiador. Professor e aluna mantinham uma relação amorosa, segundo o depoimento do próprio, que diz ter matado a aluna depois de uma discussão.

Oleg Sokolov encontra-se no hospital a receber tratamento pela hipotermia que contraiu nas águas geladas do rio Moika.

O historiador é autor de várias obras e consultor de filmes sobre o imperador francês Napoleão Bonaparte. Foi premiado com a Legião de Honra da França, em 2003 e era membro do comité científico do Instituto de Ciências Sociais, Económicas e Políticas, em Lyon, França (do qual entretanto foi expulso este sábado).

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG