Governo francês intervém e Amazon deixa de vender bonecas sexuais com ar de criança

Várias associações francesas denunciaram o caso. Governo teve de intervir e a gigante da distribuição aceitou deixar de vender as bonecas em território francês.

Na sequência da mobilização de várias associações de direitos da criança, a Amazon anunciou nesta segunda-feira que decidiu parar de vender bonecas sexuais com rostos infantis que estavam disponíveis no seu site.

"Após receber alertas de associações a quem agradeço, pedi à Amazon France que acabe com o comércio de bonecas sexuais com rosto infantil na sua plataforma, o que a Amazon França fez imediatamente, comprometendo-se a manter a vigilância", afirmou através da rede social Twitter o secretário de Estado francês encarregado pela pasta das Crianças e das Famílias, Adrien Taquet.

"Banir o crime infantil da nossa sociedade é uma responsabilidade de todos", sublinhou ainda Taquet. O secretário de Estado pretende criar ainda neste semestre uma comissão dedicada à violência sexual contra crianças.

"Todos nossos parceiros fornecedores são obrigados a seguir as nossas políticas de vendas e qualquer violação resultará na aplicação de uma sanção apropriada, incluindo a possível exclusão da conta do fornecedor", afirmou a gigante de distribuição Amazon, em mensagem à AFP.

Nos últimos dias, várias associações alertaram através das redes sociais para a existência de "bonecas sexuais pedófilas com aparência de criança", produtos considerados ilegais em França, de acordo com o Código Penal, que "proíbe a representação de menores quando essa representação for pornográfica ".

As associações, que elogiaram a "rápida intervenção" de Adrien Taquet, lembram que esta não é a primeira vez que este tipo de produto é comercializado no site da gigante de distribuição. Em 2018, outro caso parecido ocorreu com a Amazon no Reino Unido.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG