"Controlo direto dos homens" leva fundadora de revista feminina do Vaticano a sair

Women Church World, revista feminina do Vaticano, acusa uma campanha da Igreja Católica que a cerca por um "clima de desconfiança e progressiva deslegitimação".

A fundadora e o conselho editorial da revista feminina do Vaticano, Women Church World, formado por mulheres, deixaram os seus cargos por considerarem que há uma campanha do Vaticano para as desacreditar e para as colocar "sob o controlo direto dos homens".

Segundo o conselho editorial da revista, a pressão aumentou depois de terem denunciado casos de abuso sexual de freiras pelo clero.

As responsáveis, vão anunciar a sua saída no editorial que será publicado na próxima segunda-feira e através da divulgação de uma carta aberta ao papa Francisco, à qual a agência de notícias Associated Press (AP) já teve acesso.

No editorial, que foi para a gráfica na semana passada, mas que ainda não foi publicado, a fundadora da revista, Lucetta Scaraffia, escreveu: "Estamos a atirar a toalha ao chão porque nos sentimos cercadas por um clima de desconfiança e progressiva deslegitimação".

A Women Church World é uma publicação mensal que sai com o jornal L'Osservatore Romano, do Vaticano.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG