Paul Nuttall, novo líder do UKIP, promete lutar para manter o brexit

O eurodeputado, que já foi vice-líder do partido, derrotou Susanne Evans e John Ree-Evans na corrida à liderança do UKIP aberta pela demissão de Diane James em outubro, apenas 18 dias depois de ter ganho a eleição.

O principal discurso foi do líder interino Nigal Farage, mas coube a Paul Oakden, o presidente do partido, anunciar Paul Nuttall como o novo líder do UKIP. O eurodeputado ficou em primeiro lugar na corrida à liderança, à frente de Suzanne Evans e de John Rees-Evans.

Aos 39 anos, Nuttall tornou-se membro do UKIP em 2004, tendo depois liderado a juventude do partido - os Jovens Independentes. Nomeado vice-líder em 2010, quando se tornou número dois de Farage, no ano anterior tornara-se no mais jovem eurodeputado do UKIP.

Ontem agradeceu aos apoiantes a eleição. E prometeu lutar contra as tentativas de evitar o brexit. No referendo de 23 de junho, os britânicos optaram pela saída do Reino Unido da União Europeia. O UKIP, ainda com Farage à frente, foi um dos grandes defensores da saída. Apesar da vitória, Farage acabou por se demitir, sendo escolhida mais tarde Diane James para líder. Mas esta, apenas 18 dias depois, demitiu-se também, voltando Farage a assumir a liderança interina do partido eurocético.

No discurso que antecedeu o anúncio do novo líder, Farage admitiu que o partido teve "um verão difícil". Mas garantiu que depois do referendo de junho à permanência do Reino Unido na União Europeia, as pessoas perceberam que o UKIP faz falta. E sublinhou que as sondagens mostram que se houvesse eleições agora, o partido eurocético conseguiria quatro milhões de votos.

Quanto ao seu futuro, Farage garantiu que irá continuar a apoiar o UKIP e a servir no Parlamento Europeu. O eurodeputado prometeu não se calar e prosseguir com os seus programas na rádio. Para já, vai para os Estados Unidos, mas "como turista", assegurou.

Pouco antes, Farage afirmara que a vitória do brexit no referendo de 23 de junho abriu caminho para a eleição de Donald Trump nos Estados Unidos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG