Europa à procura de oito suspeitos ligados a ataques de Paris e Bruxelas

Polícia italiana deteve um argelino que terá fornecido documentos falsos aos autores dos atentados nas duas capitais europeias. Autoridades belgas efetuaram 13 novas buscas e questionaram nove pessoas por terrorismo

Os serviços de segurança europeus estão à procura de pelo menos oito suspeitos que têm ligações aos autores dos atentados de Paris e de Bruxelas, revelou ontem o Die Welt am Sonntag. Segundo as fontes do jornal alemão, os procurados são islamitas, a maioria de nacionalidade francesa e belga, que podem já ter partido para a Síria ou continuar em território europeu. Desconhece-se se um desses oito será o argelino detido no sábado à noite no sul de Itália, que é suspeito de fornecer documentos falsos à rede terrorista.

Depois das críticas de falta de coordenação ao nível dos serviços de segurança e informação europeus, as operações policiais multiplicam-se em vários países. Em Itália, as investigações levaram à detenção de Djamal Eddine Ouali, um argelino de 40 anos sobre quem recaía desde janeiro um mandado de captura internacional e que deverá agora ser extraditado para a Bélgica. Foi preso quando estava com a mulher numa paragem de autocarro, próximo de Salerno, estando a polícia a investigar o que faria em Itália.

O seu nome surgiu relacionado com atividades terroristas depois de buscas feitas em julho de 2015 num apartamento em Saint-Gilles, nos arredores de Bruxelas, onde foi encontrado equipamento e milhares de fotos para fazer documentos falsos - incluindo para Najim Laachraoui, que se suspeita ter sido o fabricante dos engenhos explosivos dos ataques de Paris (130 mortos a 13 de novembro) e que foi um dos suicidas de Bruxelas.

As autoridades estão a investigar a possibilidade de o alegado cabecilha desta rede terrorista europeia ser o argelino Mohamed Belkaid, abatido a tiro a 15 de março numa operação policial em Forest (Bruxelas). A sua morte levaria depois à detenção de Salah Abdeslam, que estava em fuga desde os atentados de Paris. Foi Belkaid que recebeu a famosa mensagem de telemóvel enviada pelos membros do comando que atacou o Bataclan e que dizia: "Lá vamos, começamos." Acredita-se que coordenou por telefone os ataques de 13 de novembro, junto com Najim Laachraoui.

Entre os oito suspeitos procurados pelas autoridades europeias estarão indivíduos que contactaram o alegado cérebro dos ataques de Paris, Abdelhamid Abaaoud (morto cinco dias depois desses atentados numa operação policial em Saint-Dennis), e Salah Abdeslam. Aquele que foi durante quatro meses o terrorista mais procurado da Europa está atualmente detido em Bruges a aguardar uma decisão de extradição para França, tendo-se remetido ao silêncio depois de admitir ser um dos responsáveis pela logística dos ataques de Paris.

Detenções na Bélgica

Na Bélgica, ainda em choque com a morte de 28 pessoas nos atentados de terça-feira no aeroporto de Zaventem e na estação de metro de Maelbeek, a polícia efetuou 13 novas buscas ontem de manhã. Nove pessoas foram levadas para interrogatório, tendo cinco sido entretanto libertadas. O Ministério Público não indicou se estas operações estão relacionadas com os ataques de Bruxelas ou com o plano de atentado que foi travado em França, com a detenção na quinta-feira do francês Reda Kriket, em Argenteuil.

Ao abrigo desta segunda investigação, a justiça belga acusou ontem Abderamane Ameroud de "participação em atividades de grupo terrorista". Detido na sexta-feira junto a uma paragem de elétrico em Schaerbeek, depois de ter sido atingido a tiro na perna, Ameroud foi condenado a sete anos de prisão em 2005, em França, por auxiliar os responsáveis pela morte do comandante afegão Ahmed Shah Massoud. No sábado, os belgas já tinham acusado Rabah N. por ligações a este outro atentado de Paris, que segundo o Le Journal du Dimanche estaria previsto para este fim de semana na Páscoa.

Também a polícia holandesa anunciou ontem a detenção em Roterdão de um francês de 32 anos, suspeito de envolvimento no planeamento de um atentado terrorista. De acordo com os procuradores holandeses, a detenção foi efetuada a pedido das autoridades francesas, devendo o suspeito ser extraditado em breve. Outras três pessoas foram detidas ao longo do dia de ontem, incluindo dois argelinos de 43 e 47 anos.

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, disse ontem à CBS que existe "urgência" para travar novos atentados na Europa. "Penso que estamos todos inquietos porque, depois de vários anos os combatentes estrangeiros regressam da Síria ou de outros locais em guerra e escondem-se na Europa", indicou. "Estamos à procura de maior controlo e estamos em discussões com as autoridades belgas há algum tempo para preencher as lacunas de que elas estão conscientes", acrescentou.

Exclusivos