EUA vai proibir americanos de viajar para a Coreia do Norte

Os EUA preparam-se para proibir os seus cidadãos de viajar para a Coreia do Norte, de acordo com duas agências que operam naquele país asiático.

A Koryo Tours e Young Pioneer Tours disseram que a proibição será anunciada em 27 de julho para entrar em vigor 30 dias depois - mas as autoridades norte-americanas não confirmaram a notícia, avançada pela BBC.

A Young Pioneer Tours foi a agência que levou o estudante norte-americano Otto Warmbier à Coreia do Norte. Warmbier acabou preso, durante 15 anos, antes de ser devolvido, em coma, aos EUA, em junho passado. Morreria alguns dias depois. Foi após esta morte que Washington começou a ponderar esta proibição.

Hoje a empresa emitiu uma nota dizendo: "Acabamos de ser informados de que o governo dos EUA não autoriza mais que cidadãos dos EUA viajem para a RPDC [República Popular Democrática da Coreia]. Espera-se que a proibição entre em vigor dentro de 30 dias. Após esse período, qualquer nacional americano que viaje para a Coreia do Norte terá o seu passaporte invalidado pelo governo".

Rowan Beard, da Young Pioneer Tours, disse à BBC que a empresa tinha sido informada pela embaixada sueca, que cuida dos assuntos dos EUA na Coreia do Norte. A embaixada está a tentar verificar o número de turistas dos EUA que estão no país.

Haverá três cidadãos americanos detidos pelo regime: Kim Dong-chul, cidadão naturalizado de 62 anos nascido na Coreia do Sul, que foi condenado a 10 anos de trabalho forçado, em abril de 2016, por espionagem; o professor coreano-americano Kim Sang-duk (ou Tony Kim), que foi detido em abril de 2017, por motivos que não são claros; e Kim Hak-song, que trabalhou na Universidade de Ciência e Tecnologia de Pyongyang e foi detido em maio de 2017 por suspeita de "atos hostis" contra o Estado.

O regime norte-coreano tem como amigo nos EUA o antigo basquetebolista Dennis Rodman, visita frequente em Pyongyang.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG