Batalha naval: EUA e Rússia trocam acusações sobre quase colisão de navios

Incidente obrigou à realização de manobras de emergência no mar da China. USS Chancellorsville e navio Almirante Vinogradov estiveram envolvidos.

As forças militares dos Estados Unidos e da Rússia trocaram esta sexta-feira acusações de ações inseguras após um incidente entre navios das frotas dos dois países, obrigando à realização de manobras de emergência, no mar da China.

Fonte da 7ª frota dos EUA disse que uma embarcação russa pôs em risco a segurança do navio USS Chancellorsville e da tripulação, que foi obrigada a reverter os motores para evitar uma colisão.

Um helicóptero, que operava sobre o mar, preparava-se para aterrar no navio que viajava com um percurso estável, quando um navio russo, que navegava atrás da embarcação norte-americana, aumentou a velocidade ficando a uma curta distância.

O porta-voz da 7ª frota, Clay Doss, disse que ninguém ficou ferido e que o navio norte-americano não sofreu qualquer dano.

"Consideramos que as ações da Rússia durante esta interação foram inseguras e pouco profissionais pois não seguiram as Regras Internacionais para a Prevenção de Colisões no Mar, Regras do Percurso e com os costumes marítimos reconhecidos internacionalmente", acrescentou Doss.

Por outro lado, o exército russo acusou o navio norte-americano de executar uma manobra perigosa ao atravessar-se o seu percurso, ficando a 50 metros do seu navio Almirante Vinogradov.

O navio russo foi obrigado a realizar uma manobra rápida de emergência, de modo a evitar o embate, referiram as autoridades russas, que enviaram uma mensagem de protesto via rádio.

As relações entre os Estados Unidos e a Rússia pós Guerra Fria não estão no melhor estado devido à crise na Ucrânia, à guerra da Síria e ao alegado envolvimento da Rússia nas eleições presidenciais de 2016 dos EUA, e os dois países têm trocado acusações frequentemente sobre manobras perigosas de aviões e navios de guerra.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG