Estudo austríaco revela que lesões pulmonares podem ser reversíveis

Na altura em que os pacientes estudados receberam alta do hospital, 88% tinham danos nos pulmões. Mas 12 semanas depois, esse número desceu para apenas 56%. Os sintomas também diminuíram. Tossiam menos, respiravam e caminhavam com mais facilidade.

É um vislumbre de esperança para os doentes com lesões pulmonares causadas por covid-19. Segundo um estudo austríaco, os infetados mostram sinais de recuperação, especialmente se tiverem acompanhamento médico contínuo e fizerem exercícios respiratórios. A falta de ar tem afligido muitos dos infetados e os médicos temem que o dano pulmonar possa ser irreversível. Mas este estudo traz algum alento.

Um grupo de médicos da University Clinic of Internal Medicine em Innsbruck, Áustria, observou melhorias semelhantes em 86 pacientes. Muitos apresentavam sintomas como tosse e falta de ar quando tiveram alta e foram para casa com instruções específicas sobre como usar os dispositivos de respiração - pequenos tubos de plástico para inspirar e expirar com força - e alguns exercícios respiratórios.

E quando voltaram para fazer exames, semanas depois, as tomografias mostraram melhoras, segundo os médicos. Havia menos fluidos nos pulmões, as lesões frequentemente vistas nas pneumonias estavam a diminuir e, em alguns casos, a desaparecer totalmente. "Existem alguns sinais de danos reversíveis", disse Thomas Sonnweber, coautor do estudo.

Na altura em que os pacientes receberam alta do hospital, 88% tinha danos nos pulmões, mas 12 semanas depois, esse número desceu para apenas 56%. Os sintomas também diminuíram. Tossiam menos, respiravam e caminhavam com mais facilidade.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG