Estado Islâmico liberta 270 civis sequestrados na Síria

Entre os civis libertados estão mulheres, crianças de menos de 14 anos e idosos

O grupo radical Estado Islâmico libertou na terça-feira 270 dos mais de 400 civis que sequestrou durante um ataque à cidade síria de Deir Ezzor, este do país, anunciou o chefe do Observatório para os Direitos Humanos.

Rami Abdel Rahman, chefe do Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH), adiantou que entre os 270 civis libertados estão mulheres, crianças de menos de 14 anos e idosos.

Os 400 civis terão sido sequestrados no sábado passado na zona de Al Baguiliya, a norte da cidade de Deir al Zur, no noroeste da Síria. De acordo com o Observatório, o grupo radical Estado Islâmico (EI) mantém ainda sequestrados 130 homens e mulheres.

O Governo de Damasco e o Observatório denunciaram no passado fim de semana a matança e o sequestro de centenas de pessoas por parte dos radicais em Al Baguiliya, mas os ativistas colocaram em causa as informações e classificaram de "falsidades" as notícias sobre o rapto de 400 pessoas.

No sábado passado, o autoproclamado EI lançou uma ofensiva contra os distritos com baixo controlo do regime em Deir al Zur e conquistou Al Baguiliya. O Observatório assinalou que as forças governamentais tentaram recuperar vários pontos no sul de Al Baguiliya e um edifício na Universidade Privada da Al-Jazira, nos arredores de Deir al Zur.

O regime mantém o controlo do aeroporto militar de Deir al Zur, os bairros de Al Yura e Al Qusur e o quartel da Brigada 137 do Exército, todos a oeste da cidade, locais onde se estima haver entre 250.000 e 300.000 pessoas cercadas desde há mais de um ano pelos jihadistas.

O grupo extremista EI proclamou em finais de junho de 2014 um califado na Síria e Iraque, onde conquistou partes do norte e do centro dos dois países.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG