Estado Islâmico executa quatro adolescentes por "espionagem"

Os jovens eram acusados de terem fotografado locais e fornecido informações à coligação que combate a força terrorista

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) executou quatro adolescentes no seu bastião de Raqa, no norte da Síria, anunciaram hoje elementos do Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

"O EI executou quatro pessoas que acusava de espionagem para a coligação" internacional liderada pelos Estados Unidos, indicou na rede social Twitter o grupo "Raqa está a ser massacrada em silêncio", que documenta os abusos dos 'jihadistas'.

Segundo o OSDH, o EI acusou os quatro jovens de terem "fotografado locais e fornecido informações à coligação".

A coligação encabeçada por Washington realiza desde 2014 ataques aéreos contra o EI no Iraque e na Síria, onde os 'jihadistas' fizeram da cidade de Raqa a sua "capital" de facto, havendo ali procedido a diversas decapitações.

Em outubro de 2015, os cadáveres decapitados de um ativista do grupo "Raqa está a ser massacrada em silêncio" e de um amigo foram encontrados na cidade turca de Saliurfa, a cerca de dez quilómetros da fronteira síria.

A polícia turca identificou em fevereiro quatro elementos do EI como seus possíveis assassinos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG