Caça ao homem. Moussa Oukabir prometeu "matar todos os infiéis"

Suspeito de ser o condutor da carrinha é irmão de um outro detido

As forças de segurança espanholas identificaram Moussa Oukabir Soprano, irmão de um dos homens detidos na sequência do atentado de quinta-feira, em Barcelona, como o alegado autor do ataque, disseram à Efe fontes policiais.

Segundo as mesmas fontes Moussa Oukabir está a ser procurado pelas autoridades espanholas. É irmão de Driss Oukabir, detido ontem, depois de o seu passaporte ter sido encontrado dentro da carrinha que atropelou mortalmente 13 pessoas nas Ramblas. Uma mulher ferida posteriormente no ataque de Cambruils morreu, confirmaram esta manhã as autoridades, elevando para 14 o número total de vítimas dos ataques.

Moussa terá acabado de completar 18 anos, e terá chegado de Marrocos no dia 13 de agosto, segundo fontes ouvidas pela Europa Press. Não está descartada a hipótese de que o jovem esteja entre os terroristas abatidos em Cambrils.

Há dois anos, Moussa, então com 16 anos, era frequentador habitual de uma página de perguntas e respostas chamada Kiwi, refere o La Vanguardia. Outros utilizadores perguntaram-lhe: "O que farias no teu primeiro dia como rei absoluto do mundo?". "Matava todos os infiéis e deixava só os muçulmanos que seguem a religião", foi a sua resposta. Noutra resposta garantia que nunca seria capaz de viver no Vaticano. Declarações que podem demonstrar que, já então, estaria radicalizado.

O que pode contradizer as informações avançadas por fontes ligadas à investigação de que os membros da célula extremista que levou a cabo o duplo atentado de ontem à tarde e desta noite na Catalunha se terão radicalizado há poucos meses.

Uma colega de escola de Moussa contou ao La Vanguardia que este sempre lhe pareceu simpático. "Um pouco calado e nunca procurava problemas."

O atentado terrorista em Barcelona, na tarde de quinta-feira, provocou 13 mortos e cerca de uma centena de feridos, após uma furgoneta ter galgado um passeio e atropelado dezenas de pessoas, nas Ramblas, no centro da cidade.

O ataque ocorreu pela 17.00 (16.00 em Lisboa) e foi já reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico, através dos seus canais oficiais de comunicação.

A polícia catalã já deteve três suspeitos de envolvimento no ataque e um outro suposto autor do atentado foi encontrado morto em Sant Just Desvern, em Baix Llobregat, a 12 quilómetros de Barcelona, depois de uma troca de tiros com a polícia catalã, após ter forçado a passagem de um controlo policial e ter atropelado uma polícia. Este homem morreu com golpes de arma branca.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG