Passear e praticar desporto. Espanha decide medidas para aliviar confinamento

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, anunciou que o Conselho de Ministros decide na terça-feira um plano para aliviar o confinamento que será executado "gradualmente, assimetricamente e em coordenação", a partir de maio e com a máxima "prudência".

Sánchez, numa conferência a partir do palácio de Moncloa, indicou que o plano será baseado nos critérios dos especialistas e enfatizou que o Governo ficará encarregado de "conduzir a transição para a nova normalidade".

A saída do confinamento causado pela pandemia da covid-19 será "gradual, assimétrica e necessariamente ordenada" em toda a Espanha por uma tabela de desempenho coordenada pelo executivo com base em "critérios objetivos".

"Não vamos recuperar repentinamente todas as atividades e mobilidade, mas por etapas", disse o chefe do Governo espanhol, especificando que essa transição ocorrerá em velocidades diferentes, dependendo do território.

O primeiro-ministro espanhol disse ainda que se os passeios que vão ser permitidos a partir de domingo aos menores de 14 anos não causarem um aumento de infeções, a partir de 02 de maio os cidadãos poderão sair para praticar desporto e passear.

Sánchez pediu às famílias que, a partir de domingo, quando um adulto sair à rua com os mais pequenos e dentro das condições estabelecidas, ajam com responsabilidade e com "máxima segurança".

Depois de seis semanas de confinamento, as crianças até aos catorze anos são autorizadas, a partir de domingo, a sair à rua durante uma hora por dia, das 09:00 às 21:00, acompanhadas por um adulto, até a um quilómetro das suas casas, podendo levar brinquedos consigo, embora tenham de se manter afastadas de outros menores.

O chefe do Governo espanhol deixou claro que, se essa "prudência" for comprovada, algo sobre o qual disse não ter dúvidas, haverá medidas sucessivas de alívio, e uma delas será a partir de 02 de maio permitir aos cidadãos sair para praticar desporto e passear se a propagação continuar contida.

Na quarta-feira, o parlamento espanhol aprovou o prolongamento por mais duas semanas, até 09 de maio, do estado de emergência em vigor desde 15 de março no país, com o objetivo de lutar contra o novo coronavírus.

Espanha registou, nas últimas 24 horas, 378 mortes devido ao novo coronavírus, uma pequena subida em relação a sexta-feira, havendo até agora um total de 22.902 óbitos, segundo as autoridades sanitárias do país.

De acordo com o Ministério da Saúde espanhol, há 2.944 novos casos positivos, elevando para 205.905 o total de infetados.

Se a este número de positivos que correspondem aos diagnosticados pela PCR, o teste mais fiável para detetar o vírus, se somarem os casos de exames rápidos que detetam os anticorpos, que era o número oficial global dado até há pouco, o total de casos é de 223.759, mais 3.995 do que na sexta-feira.

Os números diários indicam ainda que nas últimas 24 horas há 3.353 pessoas curadas depois de terem contraído a doença, sendo o total de 95.708 desde o início da pandemia.

Espanha tem este sábado (25 de abril) o segundo dia consecutivo desde o início da epidemia em que o número de novas pessoas curadas é superior ao de novos casos positivos.

Espanha é o segundo país com mais mortos com a pandemia por cada milhão de habitantes (482 óbitos), depois da Bélgica (597) e antes da Itália (430) e França (341), numa lista em que os Estados Unidos têm 158 e Portugal 84.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG