Alerta. Homem envenenou alimentos à venda em supermercados

O suspeito, que ainda não foi identificado, até envenenou comida de bebé e alertou a polícia por e-mail

As autoridades de Constança, uma cidade no sul da Alemanha, estão em alerta após um homem ter colocado um veneno potencialmente letal em vários alimentos - incluindo comida para bebés - que estavam à venda em supermercados alemães, com o objetivo de extorquir dinheiro às autoridades. Até ao momento, não foi registado nenhum caso de envenenamento.

O indivíduo avisou a polícia por e-mail que tinha colocado veneno em produtos que estavam à venda em supermercados do sul do país. Na mensagem, o homem revelou que embalagens tinham sido envenenadas, para provar às autoridades que não estava a mentir.

O homem ameaçou fazer o mesmo em estabelecimentos comerciais de todo o país, caso não recebesse milhões de euros.

Não há motivo para pânico ou histeria

A polícia confirmou ter encontrado cinco embalagens de comida para bebés que foram adulteradas. À comida foi adicionado etilenoglicol, um líquido incolor e inodoro que é utilizado no fabrico de anticongelantes. Este composto químico tem um sabor doce e pode ser letal.

"Estamos a levar a ameaça muito a sério. Não há motivo para pânico ou histeria" afirmou o vice-chefe da polícia de Constança , Uwe Steurmer, em conferência de imprensa. "Este é um caso excecionalmente grave de extorsão e temos de assumir que estamos a lidar com um chantagista que está pronto para matar", continuou, segundo o Telegraph.

A policia pede que os consumidores tenham especial atenção às embalagens dos alimentos que compram, verificando se estas foram adulteradas.

As autoridades divulgaram ainda imagens de um homem, captadas por câmaras de vigilância de um supermercado em Constança. O indivíduo, que ainda não foi identificado, utilizava óculos e um gorro, aparentando ter 50 anos, com uma estrutura média e magra.

A policia local afirmou ainda que irá intensificar a verificação dos produtos à venda na região, advertindo que a identificação dos alimentos contaminados será um desafio.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG