Encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un será em Singapura

Continua por conhecer a data. A antecer encontro de Singapura, presidente dos EUA reúne-se com o seu homólogo da Coreia do Sul.

A cimeira entre o presidente Donald Trump e o líder do regime norte-coreano, Kim Jong-un, já tem lugar marcado: será na cidade-Estado de Singapura, em junho, anunciou esta segunda-feira o diário de referência da Coreia do Sul, Chosun Ilbo, que não precisou no entanto a data.

O diário cita fontes diplomáticas que terão obtido a informação do conselheiro norte-americano para a Segurança Nacional, John Bolton. Recorde-se que a anteceder a cimeira de junho, Trump recebe o seu homólogo sul-coreano, Moon Jae-in, dia 22 na Casa Branca. Moon esteve reunido com Kim no passado 27 de abril na primeira cimeira intercoreana em mais de uma década, que decorreu em Panmunjon, na zona desmilitarizada entre os dois países.

Na passada sexta-feira, Trump dissera que a data e o local do encontro com Kim tinham sido definidos e seriam em breve anunciados. No final da semana, a agência de notícias sul-coreana Yonhap indicara que o local que estava a ser privilegiado para a cimeira era Singapura.

A cidade-Estado, onde a sua liderança mantém desde os tempos de Lee Kuan Yew na chefia do governo (1959-1990) foi o local escolhido para uma outra cimeira histórica, entre o presidente cessante da República da China, ou Taiwan, Ma Ying-jeou, e o presidente da República Popular da China, Xi Jinping, a 7 de novembro de 2015.

A reunião, que decorreu no Hotel Shangri-La, constituiu o primeiro encontro entre dois dirigentes máximos dos regimes que se defrontaram até 1949 na China continental. Pequim continua a considerar Taiwan uma província renegada, que deve ser reintegrada no todo nacional. O encontro Ma-Xi representou o culminar de um ciclo de aproximação Pequim-Taipé posto em causa após a vitória da presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, que advoga a independência da ilha.

Após anos de tensões em torno dos programas nuclear e de mísseis balísticos do regime de Pyongyang, a península coreana é, desde o início deste ano, palco de iniciativas de distensão e contactos entre as duas Coreias, que permanecem ainda tecnicamente em guerra, desde o conflito de 1950-1953.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG