Premium "Em relação à Grécia havia na UE um sentimento de castigo, quase religioso"

Entrevista ao antigo primeiro-ministro grego Giorgios Papandreou. Diz que culpas da crise foram da Nova Democracia, acusa o Syriza de ter capitulado à UE quando governo e acredita que o seu PASOK pode voltar a disputar o poder.

Há dez anos, e sob a sua liderança, o PASOK era o maior partido grego, com mais de 40% dos votos...
Sim, quando eu fui eleito primeiro-ministro em 2009 foi com 44%, quase 45% dos votos.

Foi o melhor resultado de sempre do PASOK?
Penso que o meu pai, Andreas, fundador do partido, teve um resultado de 48% em 1981.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Liderança

Jill Ader: "As mulheres são mais propensas a minimizarem-se"

Jill Ader é a nova chairwoman da Egon Zehnder, a primeira mulher no cargo e a única numa grande empresa de busca de talentos e recursos. Tem, por isso, um ponto de vista extraordinário sobre o mundo - líderes, negócios, política e mulheres. Esteve em Portugal para um evento da companhia. E mostrou-o.

Premium

Viriato Soromenho Marques

Madrid ou a vergonha de Prometeu

O que está a acontecer na COP 25 de Madrid é muito mais do que parece. Metaforicamente falando, poderíamos dizer que nas últimas quatro décadas confirmámos o que apenas uma elite de argutos observadores, com olhos de águia, havia percebido antes: não precisamos de temer o que vem do espaço. Nenhum asteroide constitui ameaça provável à existência da Terra. Na verdade, a única ameaça existencial à vida (ainda) exuberante no único planeta habitado conhecido do universo somos nós, a espécie humana. A COP 25 reproduz também outra figura da nossa iconografia ocidental. Pela 25.ª vez, Sísifo, desta vez corporizado pela imensa maquinaria da diplomacia ambiental, transportará a sua pedra penitencial até ao alto de mais uma cimeira, para a deixar rolar de novo, numa repetição ritual e aparentemente inútil.