Eleições na Rússia: 20% de participantes em Moscovo

A Rússia foi a votos este domingo nas eleições regionais. Com 11 fusos horários diferentes, os resultados só serão conhecidas esta segunda-feira de manhã. Em Moscovo, a participação foi apenas de 20%.

As eleições regionais da Rússia decorreram este domingo, mas os resultados definitivos só serão anunciados esta segunda-feira de manhã. O país tem 11 fusos horários diferentes. Os analistas políticos seguem com particular atenção as votações em Moscovo, onde se realizaram várias ações de protesto este verão e que, segundo os mesmos, se tornaram no maior movimento de contestação desde 2011-2012.

Em Moscovo, 7,2 milhões de eleitores foram chamados a votar para eleger 45 representantes para a assembleia local entre 255 candidatos, de nove partidos. Dados da comissão eleitoral, divulgados pela agência noticiosa Reuters, indicam uma participação de pouco mais de 20 % na capital russa.

Os protestos em Moscovo eclodiram em meados de julho, depois da Comissão Central de Eleições recusar a inscrição de 57 candidatos da oposição e independentes, justificando que muitas das assinaturas eram falsas. Entre os excluídos, conta-se o líder da oposição, Alexéi Navalny, que denunciou a medida como uma forma de evitar que ganhassem lugares no parlamento.

As concentrações, a maioria não autorizadas, foram duramente reprimidas pela polícia e resultaram na prisão de cerca de três mil pessoas. Além das detenções foram realizadas revistas nas casas e locais de trabalho de vários manifestantes, o que levou a que algumas pessoas tivessem sido detidas mais do que uma vez nas últimas semanas. Foi o que sucedeu com Alexéi Navalni.

Perante a impossibilidade de participar nestas eleições, a oposição optou pelo "voto inteligente" contra a Rússia Unida, o partido no poder. A estratégia, delineada por Alexéi Navalni, passou por recomendar aos eleitores, através de uma página na Internet, o voto no candidato que mais facilmente pode derrotar o representante da formação política no poder.

Nestas eleições, os representantes do Rússia Unida candidatam-se a título pessoal, numa escolha que foi vista como uma forma de contornar a queda de popularidade do Rússia Unida, de Vladimir Putin. Os resultados são aguardados com expectativa, uma vez que são indicadores do que se poderá passar em 2021 nas eleições para o parlamento russo.

Exclusivos