El País dá um passo atrás. Afinal, Lisboa não está confinada

O jornal espanhol publica, este sábado, uma reportagem na freguesia de Santa Clara, em Lisboa, admitindo que - ao contrário do que tinha sido escrito anteriormente - a capital não está confinada.

"Passeio tranquilo por Santa Clara, o bairro com mais restrições em Lisboa" é o título de uma reportagem publicada pelo diário espanhol El País, este sábado. A rendição depois da polémica notícia de quinta-feira, onde o jornal apontava que o Governo português tinha ordenado o confinamento de três milhões de lisboetas, o que levou o executivo liderado por António Costa a pedir uma retificação pública, que chega sob a forma de passeio por Santa Clara.

O jornalista do El País foi até à freguesia lisboeta com maiores restrições e que se mantém em estado de calamidade. Não há "um confinamento, como é entendido na Espanha, e como este jornal noticiou na quinta-feira", retificam no artigo. "Isso nunca existiu em Portugal, nem mesmo durante o auge da epidemia, exceto para quem tem um resultado positivo".

No trabalho são ainda apresentadas as medidas aprovadas pelo Governo para entrarem em vigor no próximo dia 1 e que pressupõem uma divisão do país em três zonas de combate à pandemia da covid-19: estado de alerta, estado de contingência e estado de calamidade. Este último aplica-se a 19 freguesias da Área Metropolitana de Lisboa. Na região, é ainda contemplado o dever cívico de recolhimento domiciliário, a proibição de feiras e mercados de levante e a impossibilidade de ajuntamentos com mais de cinco pessoas.

A região da Grande Lisboa continua a ser o maior foco de preocupação nacional, concentrando a maioria dos casos diários registados em Portugal. No total tem agora 18 106 infetados e 457 vítimas mortais, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde, desta sexta-feira, que será atualizado hoje por volta da hora de almoço.

Título "totalmente falso"

Na edição da quinta-feira do El Pais, podia ler-se na capa o título "Portugal ordena o confinamento de três milhões de lisboetas", remetendo para um texto na página 22 sobre as decisões anunciadas após a reunião do Conselho de Ministros de quinta-feira.

Horas depois, em reação, o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) afirmou que o referido título era "totalmente falso", argumentando que, "pelo contrário", a decisão do Conselho de Ministros determina que "a grande parte da Área Metropolitana de Lisboa (com a exceção de 19 freguesias, das 118 freguesias da AML) passou a uma nova fase de desconfinamento", transitando "do estado de calamidade para o estado de alerta".

"O Ministério dos Negócios Estrangeiros lamenta profundamente que um jornal com o prestígio e a responsabilidade do El Pais publique uma tal falsidade. E espera que possa fazer a correção devida com a urgência e a publicidade que essa falsidade exige", afirmou o gabinete de Augusto Santos Silva, em comunicado.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG