Dois edifícios ruíram no centro de Marselha

Pelo menos duas pessoas ficaram feridas.

Pelo menos duas pessoas ficaram feridas quando dois edifícios ruíram hoje de manhã no centro de Marselha, França, numa rua do popular quarteirão de Noailles, segundo a agência France Presse.

Por volta das 10:00 locais (09:00 em Lisboa), os bombeiros tinham enviado para o local 40 homens e 18 veículos.

Os trabalhadores das equipas de emergência disseram à France Presse que, de acordo com suas informações, nos dois edifícios poderiam estar a viver 12 pessoas.

Um porta-voz da perfeitura disse à agência Efe que o incidente ocorreu às 09:30 locais (08:30 em Lisboa), na rua de Aubagne, e que os bombeiros estavam a caminho do local.

No local do incidente, o vice-prefeito de Marselha, Julien Ruas, encarregado do Batalhão de Bombeiros, indicou que um dos dois prédios estava considerado em perigo há cerca de dez dias por problemas no primeiro andar. Os ocupantes deste apartamento tiveram por isso de ser realojados.

Os dois edifícios, de quatro e cinco andares, que estavam praticamente em ruínas, localizam-se na rue d'Aubagne e hoje de manhã ficaram reduzidos a uma pilha de lixo.

Uma mulher que saiu de um dos prédios que desabaram, coberta de poeira, foi ajudada pelos socorristas.

"Eu moro mesmo ao lado, estava a ver televisão quando ouvi um grande barulho, mas não houve explosão, e depois uma nuvem de fumo", disse à AFP Antonio Dias, 30 anos.

Outra vizinha, Sofia Benameur, também disse ter ouvido um estrondo e, de repente, uma grande nuvem de fumo.

"Desabou em poucos segundos, não ouvi o som de qualquer explosão", disse à France Presse Djaffar Nour, que fazia compras a algumas dezenas de metros dos edifícios que ruíram.

Segundo os bombeiros, um terceiro prédio adjacente também ameaçou entrar em colapso.

Numa mensagem na sua conta no Twitter, o perfeito publicou uma foto em que se veem apenas escombros no local onde estava o edifício, que já era relativamente velho.

O perfeito pediu ainda aos munícipes que evitem circular naquela zona da cidade e deem prioridade aos serviços de emergência e resgate.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG