"Devo-lhes a minha vida". Boris tem alta e agradece a enfermeiro português

Na primeira declaração feita desde que deixou os cuidados intensivos, o primeiro-ministro britânico mostrou-se grato aos profissionais de saúde que o trataram. Em especial a dois: Luís, do Porto, e Jenny da Nova Zelândia.

"Não lhes posso agradecer o suficiente. Devo-lhes a vida", disse o primeiro-ministro britânico depois de deixar St Thomas's Hospital, onde esteve internado na última semana. Boris Johnson referia-se aos profissionais do serviço nacional de saúde britânico que o ajudaram no tratamento à infeção de covid-19. Na primeira mensagem ao país, desde que teve alta hospitalar este domingo, o primeiro-ministro agradeceu a todos quanto o ajudaram, mencionando em especial a enfermeira "Jenny da Nova Zelândia e Luís de Portugal, do Porto", que estiveram ao seu lado nas horas mais criticas.

"Espero que não se importem, mas tenho de referir dois nomes, que estiveram ao meu lado 48 horas quando as coisas poderiam ter corrido de forma diferente", disse o governante antes de mencionar os dois enfermeiros, num vídeo, publicado no Twitter. Onde aproveitou para agradecer também aos britânicos e pedir-lhes para ficarem em casa.

"Quero que saibam que neste Domingo de Páscoa acredito que os vossos esforços valem a pena, e provam diariamente que valem a pena", referiu.

Boris Johnson recebeu alta do hospital, mas não vai regressar já ao trabalho, informou um porta-voz do seu gabinete. "O primeiro-ministro recebeu alta do hospital para continuar a sua recuperação", que será feita em Chequers Court, a residência de campo, a 70 quilómetros de Londres.

Boris Johnson foi internado há uma semana na unidade hospitalar em frente ao parlamento britânico, do outro lado do rio Tamisa, quando os sintomas de covid-19 se agravaram. No dia 6 de abril foi transferido para o serviço dos cuidados intensivos, onde ficou durante três dias, até quinta-feira.

O primeiro-ministro britânico foi diagnosticado com covid-19 a 27 de março. Nunca chegou a precisar de respiração assistida, nem apresentou sinais de pneumonia, mas recebeu oxigénio.

Enquanto recupera da infeção pelo novo coronavírus - que já atinge 78 991 pessoas no país e fez 9 875 vitimas mortais, segundo os dados oficiais mais recentes - o ministro dos Negócios Estrangeiros, Dominic Raab, foi designado para substituir Boris Johnson.

Notícia atualizada às 16:16 com a mensagem de Boris Johnson

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG