Detido pelo rapto de Maëlys suspeito num triplo homicídio em 2012

A polícia está a rever também pelo menos outros três casos de desaparecimentos suspeitos na área

A polícia francesa está a investigar uma nova pista no caso de um triplo homicídio que ocorreu nos Alpes em 2012 e ficou por resolver: o novo suspeito é o homem que está detido acusado de raptar a lusodescendente Maëlys de Araújo, a menina de 9 anos que está desaparecida desde 27 de agosto em França. A polícia está a rever também pelo menos outros três casos de desaparecimentos suspeitos na área.

Nordhal Lelandais foi esta semana interrogado a propósito do desaparecimento de um jovem militar, Arthur Noyer, na noite de 11 para 12 de abril. Suspeito já em dois casos, está a agora a ser considerado em relação a um caso que chocou o país em 2012, segundo avança a BBC: Saad al-Hilli, Iqbal al-Hilli e a mãe Suhaila al-Allaf foram assassinados durante as férias.

Os corpos do britânico Saad al-Hilli e da mulher, e da mãe daquela, foram encontrados numa estrada perto do Lago Anecy a 5 de setembro de 2012 - as duas filhas sobreviveram, uma estava gravemente ferida e a mais pequena foi encontrada ilesa, escondida debaixo do corpo da mãe.

"Estamos a rever todos os desaparecimentos que tiveram lugar nesta região", disse o procurador Thierry Dran, sem acrescentar mais detalhes. Mas, segundo a BBC, os casos incluem também outros três desaparecimentos: o de Adrien Mourial, um belga de 24 anos que desapareceu perto do Lago Anecy em julho e cujo crânio foi encontrado em setembro; Jean-Christophe Morin e Ahmed Hamad, que desapareceram em 2011 e 2012, respetivamente.

Maëlys de Araújo desapareceu na madrugada do dia 27 de agosto, de uma festa de casamento em Pont-de-Beauvoisin, a 85 quilómetros de Lyon, no sudeste de França. Nordhal Lelandais nega qualquer envolvimento no desaparecimento da criança, mas está detido por suspeito de rapto.

Exclusivos

Premium

Liderança

Jill Ader: "As mulheres são mais propensas a minimizarem-se"

Jill Ader é a nova chairwoman da Egon Zehnder, a primeira mulher no cargo e a única numa grande empresa de busca de talentos e recursos. Tem, por isso, um ponto de vista extraordinário sobre o mundo - líderes, negócios, política e mulheres. Esteve em Portugal para um evento da companhia. E mostrou-o.