Detido em Málaga homem que forneceu armas para atentado em Paris

Antoine Denive tem 27 anos e terá escapado para Espanha poucas semanas depois do atentado no Charlie Hebdo e sequestro no Hyper Cacher

A polícia espanhola deteve um homem suspeito de ter fornecido armas a Amedy Coulibaly, o terrorista que atacou um supermercado judeu em Paris no mês de janeiro do ano passado, depois do atentado no jornal satírico Charlie Hebdo.

Coulibaly matou cinco pessoas - uma polícia no dia 8 de janeiro e quatro pessoas no supermercado judeu, o Hyper Cacher, que tomou de assalto e onde fez reféns, no dia seguinte. O terrorista afirmou que os ataques foram coordenados com os irmãos Kouachi, que dias antes tinham atacado o jornal satírico Charlie Hebdo. As autoridades espanholas revelaram após o sequestro que Coulibaly estivera, dias antes, em Espanha, para deixar a mulher e outros familiares no aeroporto de Madrid, tendo estes apanhado um voo com direção a Istambul, na Turquia. O terrorista regressou então a França, onde viria a cometer os ataques que culminaram com a sua morte às mãos da polícia.

O homem agora detido chama-se Antoine Denive, tem 27 anos e havia um mandado de detenção europeu em seu nome, por tráfico de armas e participação em organização criminosa. Foi detido em Rincón de la Victoria (Málaga), avança o jornal espanhol El País, numa operação conjunta das autoridades francesas e espanholas. As investigações terão demonstrado, avança a imprensa espanhola, que Denive saiu de França poucas semanas depois dos atentados de janeiro de 2015, para escapar à polícia. Decidiu então instalar-se em Málaga para continuar a dedicar-se a atividades ilícitas, relacionando-se sobretudo com indivíduos de origem sérvia que, segundo o El País, lhe terão facilitado o acesso a armas e munições. A polícia apreendeu vários documentos falsos na sua posse, assim um passaporte europeu válido de outra pessoa. Denive terá nacionalidade francesa e é natural da região de Pas de Calais, no norte do país, avança a agência Reuters.

Segundo as autoridades espanholas, o suspeito diz ser inocente e já aceitou ser extraditado para França. A Espanha deverá proceder à extradição logo que seja confirmado que não existe qualquer investigação aberta no seu território que vise Antoine Denive.

Na mesma operação, foram ainda detidas mais duas pessoas, de nacionalidade sérvia e montenegrina.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG