Denver proíbe "conversão homossexual" em menores

Denver proibiu as terapias de "conversão gay" para menores de idade, tornando-se no primeiro município do Colorado a fazê-lo. Esta prática é proibida em nove estados norte-americanos.

O Conselho da Cidade de Denver votou esta semana, por unanimidade, a proibição de terapias de "conversão gay" para menores de idade.

"A votação desta noite [8 de janeiro de 2019] é a demonstração de que a cidade está unida e que diz, a uma só voz, que nunca permitiremos que nossos jovens LGBT voltem a ser alvos dessas práticas duvidosas e que estamos aqui para os apoiar", disse o presidente da autarquia, Michael Hancock, um dos proponentes da iniciativa.

A terapia de "conversão" é uma prática proibida em nove estados norte-americanos. Estão contra os procedimentos para mudar a orientação sexual de quem não é heterossexual. São baseadas "na falsa alegação de que ser LGBTQ+ é uma doença mental que precisa ser curada", refere a proposta aprovada, lembrando que tais práticas foram rejeitadas pela Associação Americana de Psiquiatria, bem como por especialistas em saúde mental e clínica. E, desde 1992, que a Organização Mundial de Saúde retirou a homossexualidade da lista de patologias.

O estado de Colorado tenta aprovar uma lei geral que proíba as terapias de "conversão sexual", mas as propostas foram chumbadas por quatro vezes. Os EUA, bem como o Canadá, Espanha e Austrália têm legislação diferente de região para região.

Malta (2016) foi o primeiro país europeu a proibir as terapias de "conversão homossexual" e, o ano passado, o Reino Unido anunciou um plano que prevê a criação de legislação com idêntico propósito. Também a Argentina, China e Taiwan proíbem essas práticas.

Em Portugal, o termo norte-americano LGBTQ é designado LGBTI (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e intersexo). Não há legislação nacional sobre este tipo de terapias.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG