Demitiu-se o principal advogado de Trump no caso da alegada ingerência russa

John Dowd estava à frente da equipa que representa o Presidente dos EUA na investigação especial de Robert Mueller

O principal advogado de Donald Trump para a investigação especial em torno de uma possível ingerência russa nas eleições norte-americanas de 2016 demitiu-se esta quinta-feira.

A notícia é dada pelo New York Times, que cita duas pessoas próximas da matéria, e explica que John Dowd deixou o cargo depois de concluir que Trump ignorava os seus conselhos, disse uma das fontes.

O jornal norte-americano diz ainda que enquanto John Dowd esteve à frente da equipa, esta aconselhou Donald Trump várias vezes a cooperar com a investigação liderada por Robert Mueller.

"Adoro o Presidente e desejo-lhe tudo de bom", afirmou John Dowd à CNN.

Em resposta, Jay Sekulow, um dos advogados de Trump, disse: "John Dowd é um amigo e tem sido um membro valioso da nossa equipa legal. Continuaremos com a nossa representação do Presidente e a nossa cooperação com a investigação especial".

Sekulow disse também que para o lugar de John Dowd entrará Joseph diGenova, de acordo com a Reuters.

O New York Times explica John Dowd considerou má ideia Donald Trump de ser entrevistado por Mueller e o gabinete da investigação especial, no seguimento do Presidente dos EUA ter insistido na situação.

Esta semana, Trump passou ao ataque à investigação e a Robert Mueller. o que marcou uma mudança no tom do Presidente em relação ao assunto.

Em atualização

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG