De folga, mulher polícia mata assaltante à entrada de uma escola

Comemorava-se o dia da mãe e a polícia estava num evento escolar com a filha. Reagiu a uma tentativa de assalto e acabou por matar o assaltante

Katia da Silva Sastre, de 42 anos, faz parte da Polícia Militar brasileira há vinte anos. Por isso, não teve problemas em usar a pistola para fazer frente a uma tentativa de assalto em dia de folga. Acabou por matar o ladrão, de 21 anos, que, segundo o jornal O Globo, não resistiu a um tiro no peito.

O episódio aconteceu este sábado, por volta das 8:00 da manhã, à entrada da escola Ferreira Master, em São Paulo. A mulher polícia esperava, juntamente com a filha e outros pais e crianças, na entrada no estabelecimento para as comemorações do Dia da Mãe.

Surpreendida pela tentativa de assalto, a mulher reagiu. Sacou da pistola e disparou três vezes sobre o ladrão, depois de este ter apontado a arma a uma pessoa.

"Eu não sabia se a reação dele seria disparar contra as crianças, as mães ou o funcionário da escola. A única coisa em que pensei foi em salvar aquelas mães, as crianças, a minha vida e da minha filha", disse a polícia, ao Globo.

A intervenção acabou por ser alvo de uma homenagem no domingo pelo governador do estado de São Paulo, Márcio França. Em declarações à Folha de São Paulo o político afirmou que este é um reconhecimento para "cumprimentar a destreza, a técnica e a coragem" da cabo.

Ela agiu tão precisamente, tão perfeitamente, que resolvemos homenageá-la

O governador foi questionado, no entanto, sobre se numa altura em que se luta no Brasil pela baixa da violência mortal da Polícia Militar, se este reconhecimento não pode ser um incentivo ao contrário?

"A homenagem é feita porque é Dia das Mães, e ela é mãe. Claro, o rapaz morreu, não é o ideal. Nós gostaríamos que as pessoas não morressem", respondeu o governador à Folha de São Paulo.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG