Criadores britânicos optam por perus mais pequenos para o Natal

A restrição do número de pessoas à mesa neste Natal, devido à pandemia, levou alguns criadores britânicos a preferir espécies mais pequenas de perus, para responder à procura de aves de menor porte.

A Inglaterra proibiu em setembro os encontros sociais com mais de seis pessoas, tanto no interior como no exterior (com algumas exceções, como escolas, locais de trabalho ou desportos de equipa), e os avicultores já tinham começado a pensar no prato tradicional natalício há vários meses.

Desde que a pandemia chegou ao país, o criador de aves biológicas Mark Chilcott antecipou que haveria restrições em relação ao número de pessoas que poderiam sentar-se à mesa no Natal.

Em abril, o agricultor, proprietário de uma quinta de 180 hectares no condado de Dorset, no sudoeste de Inglaterra, selecionou perus de raça "bronze", preferindo fêmeas a machos, por serem mais pequenas, e reduziu o número de animais para 1 200, contra 1 500 no ano passado, contou à agência de notícias France-Presse (AFP).

As fêmeas pesam cinco a seis quilos, cerca de metade do peso dos machos, e representam um terço do peso dos enormes perus vendidos habitualmente nos supermercados na época natalícia, explicou.

Segundo o criador, é quanto basta para servir a refeição tradicional de Natal ao abrigo da chamada "regra dos seis", atualmente em vigor no país. Em algumas zonas do país, as famílias também não podem receber visitas fora do agregado familiar, restrições que podem vir a prolongar-se até ao Natal.

"Se ficarmos sem tamanhos pequenos, as pessoas terão de comprar peito [de peru] ou meia ave", explicou o agricultor à AFP.

Para fazer face à procura de perus mais pequenos, o diretor-geral do British Poultry Council, o organismo que representa os avicultores, aconselhou o abate mais cedo, antes de os animais atingirem a maturidade, congelando-os até à época natalícia.

Segundo a organização, muitos criadores já tinham começado a fazer a transição para animais de menor porte, em resposta ao aumento da procura de aves mais pequenas, criadas ao ar livre, ou do ganso tradicional.

No ano passado, foram vendidos nove milhões de perus no Natal, de acordo com o organismo.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG