Coreia do Norte pede aos EUA que retirem Pompeo das negociações sobre nuclear

A Coreia do Norte culpa o secretário de Estado Mike Pompeo pelo insucesso da última cimeira entre Kim e Trump.

A Coreia do Norte pediu esta quinta-feira que o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, seja retirado das negociações entre Washington e Pyongyang sobre armas nucleares, culpando-o pelo impasse criado no processo.

"Receio que se o senhor Pompeo ainda participar nas conversações, a atmosfera seja má e as discussões fiquem bloqueadas novamente", disse o diretor-geral do departamento de assuntos norte-americanos do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Norte, Kwon Jong Gun, citado pela agência de notícias KCNA.

"Portanto, no caso de uma possível volta ao diálogo com os Estados Unidos, espero que o nosso interlocutor nas conversações não seja o senhor Pompeo, mas (...) uma pessoa que seja mais atenta e madura para comunicar connosco", acrescentou Kwon Jong Gun.

Estas declarações foram divulgadas algumas horas depois de a KCNA ter informado que o líder norte-coreano, Kim Jong-un, havia supervisionado o teste de uma nova "arma tática guiada" com uma "ogiva poderosa".

Esta é a segunda vez que a Coreia do Norte alega ter realizado um teste de armas desde o início das negociações, em 2018, com os Estados Unidos sobre os seus programas de mísseis balísticos e armas nucleares e o primeiro desde o fracasso da segunda cimeira entre Kim e o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em fevereiro, em Hanói.

Kwon Jong Gun alertou que se os Estados Unidos não "se desembaraçarem da causa fundamental" que forçou os norte-coreanos a conseguir a arma nuclear, "ninguém pode prever o que acontecerá com a situação na península".

Entretanto, o responsável norte-coreano acrescentou que ficaria "feliz" se Kim e Trump continuassem a negociar "em bons termos, como sempre", apesar do impasse diplomático sobre o dossier nuclear.

Exclusivos