Coreia do Norte lança novo míssil. "Este tipo não tem nada melhor para fazer?", pergunta Trump

A Coreia do Norte testou hoje com sucesso o primeiro míssil balístico intercontinental

A Coreia do Norte anunciou hoje ter testado com sucesso o primeiro míssil balístico intercontinental (ICBM), uma etapa crucial para a realização do objetivo de poder ameaçar os Estados Unidos com armas nucleares.

O lançamento foi realizado por volta das 09:40 (01:40 em Lisboa), a partir da província norte-coreana de Pyongyang Norte e, segundo anunciou a televisão estatal do país, foi supervisionado pelo próprio líder, Kim Jong Un.

O comando das forças norte-americanas para o Pacífico confirmou o lançamento e indicou que se trata de um projétil de médio alcance.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, já reagiu na rede de mensagens instantâneas Twitter, questionando se o líder norte-coreano "não nada melhor para fazer na vida?". Trump instou a China a endurecer a posição em relação à Coreia do Norte.

Segundo o Ministério da Defesa japonês, o míssil lançado atingiu uma altitude superior a 2.500 quilómetros. "Estima-se que o míssil atingiu uma altitude bastante superior a 2.500 quilómetros, seguiu durante 40 minutos e caiu no mar do Japão, na zona económica exclusiva do arquipélago, a 900 quilómetros de distância do ponto de partida", disse o Ministério de Defesa em comunicado.

A televisão estatal norte-coreana confirmou estas informações.

Um analista de armas considerou que o míssil pode ser suficientemente poderoso para chegar ao Alasca, nos Estados Unidos.

A Coreia do Norte tem aumentado nos meses mais recentes os testes com mísseis balísticos e pretende construir mísseis nucleares que possam alcançar território norte-americano, um registo que segundo os especialistas ainda permanece longínquo.

O programa nuclear e de mísseis norte-coreano constituem um dos mais importantes desafios de política externa que enfrentam os dois novos líderes, e aliados, em Washington (EUA) e Seul (Coreia do Sul).

Em conferência de imprensa, o ministro porta-voz do Governo do Japão, Yoshihide Suga, disse que o míssil deverá ter caído nas águas da Zona Económica Especial nipónica, a qual se estende a cerca de 200 quilómetros das costas do arquipélago.

Este ensaio de armamento norte-coreano, o primeiro desde 08 de junho, quando Pyongyang disparou um míssil de cruzeiro, ocorre depois de o novo presidente sul-coreano, Moon Jae-in, e do homólogo norte-americano, Donald Trump, se terem reunido na semana passada, em Washington, para abordar a questão do regime norte-coreano.

Este teste pode ter sido o mais bem sucedido até à data para a Coreia do Norte.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG