"Confinamento" é a palavra do ano para a editora do dicionário de inglês Collins

A editora registou mais de 250 mil utilizações da palavra "confinamento" em 2020, contra apenas 4000 no ano anterior.

O "confinamento", medida restritiva adotada por Governos de todo o mundo para limitar a propagação do novo coronavírus, foi esta terça-feira designada palavra do ano 2020 pela HarperCollins, anunciou o grupo que edita o dicionário de inglês Collins.

"Lockdown" (confinamento, em português) faz parte de uma lista de dez outras palavras, muitas das quais relacionadas com a pandemia de covid-19, estabelecida pelos lexicógrafos da HarperCollins que estudam a evolução da língua inglesa.

A editora registou mais de 250 mil utilizações da palavra "confinamento" em 2020, contra apenas 4000 no ano anterior.

"A língua é o reflexo do mundo que nos rodeia e 2020 foi dominado pela pandemia. Escolhemos 'confinamento' como palavra do ano porque resume a experiência partilhada por milhares de milhões de pessoas que tiveram de restringir a sua vida quotidiana para conter o vírus", referiu num comunicado a consultora de conteúdos linguísticos da HarperCollins, Helen Newstead.

"Coronavírus" e "distanciamento social" na lista

No Reino Unido, o território europeu mais afetado pela pandemia, com mais de 49 mil mortos, os habitantes de Inglaterra estão novamente confinados desde 5 de novembro, depois do primeiro confinamento geral decretado no final de março.

Na lista elaborada pela HarperCollins figuram ainda outras palavras associadas à pandemia, tais como a previsível "coronavírus", além de "distanciamento social", "auto isolamento" e "trabalhador [de serviço] essencial".

A abreviatura "BLM" também se destacou em 2020, lembrando outro marco do ano, que foram as manifestações do movimento "Black Lives Matter" (Vidas Negras Contam) após o assassinato de George Floyd, afro-americano que morreu asfixiado pelo joelho de um polícia branco em Mineápolis, no final de maio.

As redes sociais, regulares fornecedoras de novas palavras, levaram à inclusão dos termos "TitToker" (utilizador da rede social TikTok) e "mukbang", um fenómeno da Coreia do Sul que consiste em filmar-se a si mesmo enquanto se empanturra com comida, ao mesmo tempo que interage com os seus seguidores nas redes sociais.

A última palavra da lista, "Megxit", é uma contração de "Meghan" e "Exit" (saída), uma alusão ao "Brexit" utilizada para referir a retirada da família real britânica por parte do príncipe Harry e da sua mulher Meghan, anunciada em janeiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG