David Goodall despediu-se, ″feliz″ por morrer hoje

David Goodall, de 104 anos, viajou até à Suíça para morrer esta quinta-feira, uma vez que no seu país, Austrália, a morte assistida é ilegal. "Não quero continuar a viver", disse

Aos 104 anos, o cientista australiano David Goodall decidiu morrer. A morte assistida é ilegal no seu país e, por isso, viajou para a Suíça, onde agendou para esta quinta-feira a sua morte: morreu esta manhã, em Basileia. Uma viagem que se tornou notícia em todo o mundo.

"As minhas capacidades estão em declínio há um ou dois anos, a minha vista há seis. Não quero continuar a viver. Estou feliz por poder acabar com isto", disse ontem Goodall durante uma conferência de imprensa.

Horas depois, em Basileia, o cientista mais velho da Austrália, dirigiu-se à agência a Life Circle, que o ajudou a morrer.

O caso de Goodall reacendeu o debate sobre a eutanásia na Austrália. O cientista esperava que com a sua decisão haja uma alteração na legislação sobre esta matéria.

A morte assistida é legal apenas num estado na Austrália, mas é necessário que a pessoa esteja em estado terminal, o que não é o caso deste professor universitário emérito, condecorado com a Ordem da Austrália.

A condição física e a qualidade de vida do cientista deterioram-se nos últimos anos e, por isso, decidiu morrer, explicou aos jornalistas. Uma opção que todos deveriam ter, defendeu. "Deve-se ser livre para escolher a morte, quando a morte surge no momento apropriado", afirmou.

Por ocasião do seu aniversário, no passado mês de abril, o reconhecido botânico disse que lamentava ter chegado aos 104 anos. "Não estou feliz. Eu quero morrer. Não é particularmente triste. O que é triste é ser impedido de fazer isso", disse à BBC.

De acordo com a Euronews, Goodhall disse que a sua morte iria ser consumada através de injeção letal e que alguns familiares iriam estar com ele nos seus últimos momentos com vida.

Já em Perth, antes de entrar no avião rumo à Suíça, David Goodall despediu-se de alguns familiares. "É muito bom que eles estejam aqui para me ver partir", disse na altura David Goodall que cumpriu hoje o desejo de morrer.

Eutanásia em Portugal vai ser discutida no parlamento

Em Portugal, vão ser discutidos e votados projetos sobre a morte medicamente assistida no próximo dia 29 de maio. Na Assembleia da República vão ser apresentados projetos do PS, BE, PEV e PAN.

Notícia atualizada às 12.40

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG