China defende festa de música eletrónica em piscina em Wuhan

Imagens de megafesta de música eletrónica num parque aquático lotado em Wuhan tornou-se viral nas redes sociais.

A China defendeu nesta quinta-feira a organização de uma megafesta de música eletrónica num parque aquático lotado em Wuhan, epicentro da covid-19, após a divulgação viral de imagens do evento na internet.

A festa no parque aquático "mostra que Wuhan obteve uma vitória estratégica no combate à epidemia", considerou Zhao Lijian, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China.

Fotos e vídeos da AFP que mostram centenas de pessoas em fatos de banho, a dançar coladas umas às outras ao ritmo da música eletrónica e sem máscara, foram muito partilhados nas redes sociais.

As imagens do parque aquático Maya Beach no fim de semana geraram espanto e incompreensão de muitos internautas na Europa e nos Estados Unidos, onde o coronavírus continua a fazer inúmeras vítimas. O vídeo da AFP já acumula mais de 16 milhões de visualizações.

"Vi o vídeo da AFP. Aparentemente os europeus e os americanos ficaram muito surpresos ao ver essas imagens", destacou em conferência de imprensa Zhao Lijian, afirmando que espera que a imprensa estrangeira "informe bem sobre a situação real" da covid-19 na China.

A China foi o primeiro país a registar casos de covid-19 no final de 2019, em Wuhan. No entanto, a epidemia foi contida no país, graças a um confinamento rigoroso, ao uso generalizado de máscara e ao rastreamento de contactos. Não há registo de mortes desde meados de maio.

Wuhan foi isolada do mundo por 76 dias, entre janeiro e abril. No entanto, a grande maioria dos 11 milhões de habitantes fizeram testes a meio de uma campanha de deteção em massa e voltaram gradualmente à vida normal.

Muitos parques aquáticos e piscinas reabriram em toda a China.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG