"Chamem-me Harry." O pedido do duque de Sussex no regresso ao Reino Unido

Príncipe britânico pediu para ser chamado simplesmente por Harry durante o seu primeiro compromisso público desde que voltou ao Reino Unido.

Quase dois meses depois de ter anunciado a independência da família real britânica e quase um mês após ter emigrado para o Canadá juntamente com a mulher, Megan Markle, o príncipe Harry pediu para ser chamado simplesmente por Harry, durante o seu primeiro compromisso desde que voltou ao Reino Unido.

Em Edimburgo a lançar um evento da sua nova empresa de ecoturismo, o duque de Sussex foi apresentado pelo anfitrião apenas pelo nome próprio: "Ele deixou claro que todos devemos chamá-lo de Harry... então, senhoras e senhores, por favor deem as boas-vindas escocesas a Harry."

A rutura com os deveres reais dos duques de Sussex será formalizada a 31 de março, quando deixarão de ser "membros seniores ativos" da família real britânica. O casal deixará de usar o título de "alteza real" e também de representar oficialmente a monarca britânica, de 93 anos.

O príncipe terá ainda de abandonar as suas funções militares, às quais estava muito ligado.

O casal renunciou ao seu subsídio real e terá de reembolsar certas despesas públicas das quais beneficiaram, em particular os 2,4 milhões de libras esterlinas (2,8 milhões de euros) empregadas na renovação da sua residência - Frogmore House - no Reino Unido.

Antes de pedirem a emancipação da família real e de todos os seus deveres e fardos, Harry e Meghan registaram como sua a marca Sussex Royal. Mas não poderão usá-la, porque soube-se agora que o acordo a que chegaram com a Casa Real obriga-os a abdicar do uso da palavra "Royal".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG