Casal "castigado" por ter fingido que chegou ao topo do Evereste

Foram elogiados por serem o primeiro casal indiano a chegar ao topo do Evereste mas as fotografias que apresentaram como prova tinham sido alteradas

O governo do Nepal vai tomar medidas para penalizar um casal que afirma ter escalado até ao topo do Evereste. Dinesh e Tarakeshwari Rathod anunciaram que chegaram ao topo da montanha mais alta do mundo no dia 23 de maio, tornando-se o primeiro casal indiano a fazê-lo, mas as autoridades descobriram que era mentira.

Dinesh e Tarakeshwari, que têm os dois 30 anos e são polícias, estão a ser acusados de fraude mas mantêm a versão de que escalaram 8,850 metros, realizando assim "o sonho de uma vida".

O casal estava sob investigação, segundo o chefe do departamento de Turismo do Nepal, Sudarshan Dhakal, após as autoridades terem desconfiado de que as fotografias que apresentaram como prova da escalada tinham sido alteradas.

Os certificados de escalada que o casal recebeu por ter chegado ao topo foram retirados, eles estão banidos de voltarem a escalar nos Himalaias e serão sujeitos a mais "medidas" que ainda não foram reveladas, segundo a agência noticiosa Xinhua.

O feito do casal indiano levantou suspeitas após eles terem publicado fotografias que supostamente mostravam a escalada e o topo do Evereste, mas que tinham alguns problemas: os fatos e as botas eram diferentes de um momento para o outro e sem nenhuma explicação plausível. Durante a escalada o fato era vermelho e no topo era cor de laranja e as botas mudavam de marca.

Além disso, outros montanhistas que estavam no Evereste na mesma altura que Dinesh e Tarakeshwari afirmaram que é impossível o casal ter chegado ao topo naquela data, pois eles precisariam de muito mais tempo.

O casal deu uma conferência de imprensa no dia 5 de junho em que anunciavam ter conquistado o Evereste e foram notícia na Índia por terem sido o primeiro casal a consegui-lo.

Exclusivos