"Calúnia". Coreia do Norte desmente acidente após teste nuclear

Uma televisão japonesa noticiou que mais de 200 pessoas tinham morrido no desabamento de um túnel

A Coreia do Norte desmentiu hoje a informação de que morreram mais de 200 pessoas no desabamento de um túnel na sequência do sexto teste nuclear, realizado em setembro. A televisão estatal norte-coreana disse que essa noticia se baseava num "relatório falso" que tinha como objetivo caluniar o país e os seus avanços no desenvolvimento nuclear, avança a Reuters.

O regime de Pyongyang qualificou essa notícia de "desinformação".

Na terça-feira, a televisão Asahi cita fontes anónimas familiarizadas com a situação para revelar que ocorreram dois acidentes relacionados com o teste nuclear realizado a 3 de setembro: um por volta do dia 10 de setembro, no qual terão morrido cerca de 100 trabalhadores; e um outro, durante as operações de resgate, que terá feito outras tantas vítimas.

O sexto teste nuclear de Pyongyang foi realizado, tal como os cinco anteriores, na região montanhosa de Punggye-ri, que consiste num complexo sistema de túneis construídos sob a superfície.

Segundo uma estimativa do Governo sul-coreano, o teste nuclear de 3 de setembro teve teve uma potência de 50 mil toneladas, o que significa que o teste foi cinco vezes mais potente que o quinto ensaio nuclear realizado pela Coreia do Norte, em setembro de 2016, e mais de três vezes superior ao da bomba que destruiu Hiroshima em 1945.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG