Londres propõe fronteira aberta, "sem postos", entre Irlandas

Num documento oficial, o governo da primeira-ministra Theresa May frisa a importância de evitar uma fronteira rígida, como as outras fronteiras externas da UE

O Reino Unido propõe uma "solução sem precedente" para a fronteira entre a Irlanda do Norte e a República da Irlanda, sem postos de controlo nem câmaras de vigilância, após a saída do país da União Europeia (UE).

Num documento oficial divulgado esta quarta-feira, o governo da primeira-ministra Theresa May frisa a importância de evitar uma fronteira rígida ("hard border"), como as outras fronteiras externas da UE.

Segundo o documento, não deve haver qualquer infraestrutura física, como postos aduaneiros, na fronteira, nem mesmo câmaras de vigilância ou tecnologia de identificação de matrículas.

São necessárias "flexibilidade e imaginação" para manter as atuais condições e uma futura "parceria aduaneira" pode eliminar a necessidade de controlos na fronteira.

Com o 'Brexit', a Irlanda do Norte torna-se a única parte do Reino Unido a fazer fronteira com um Estado membro da União.

A gestão dessa fronteira é uma das questões mais sensíveis e uma das três prioridades estabelecidas por Londres para as negociações de saída.

A próxima ronda de negociações com a UE inicia-se a 28 de agosto.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG