Boris Johnson hospitalizado para mais exames à covid-19

Trata-se de "uma medida de precaução", disse um porta-voz de Downing Street. O primeiro-ministro britânico soube há dez dias que estava infetado com o novo coronavírus.

O primeiro-ministro britânico, que já estava em quarentena há dez dias após testar positivo, deu entrada num hospital em Londres para ser testado, devido a febres altas e sintomas persistentes de covid-19.

Um porta-voz de Downing Street, citado pelo The Guardian , disse que Boris Johnson foi hospitalizado na noite deste domingo "a conselho do seu médico" e "para exames". Esclarece que "esta é uma medida de precaução, pois o primeiro-ministro continua a apresentar sintomas persistentes de coronavírus", como febre.

Ainda de acordo com a BBC , deverá ficar internado no hospital durante a noite. A reunião desta segunda-feira de discussão sobre a pandemia do governo, que acontece diariamente, deverá ser presidida pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Dominic Raab.

A notícia chega um dia depois de a noiva do primeiro-ministro britânico, Carrie Symonds, que está grávida, ter anunciado que também passou a sentir sintomas do novo coronavírus.

No dia 27 de março, o líder dos Conservadores anunciou na sua conta de Twitter estar infetado com covid-19. "Nas últimas 24 horas desenvolvi ligeiros sintomas e testei positivo para coronavírus", escreveu, revelando que iria ficar em isolamento, mas que não abdicaria do seu papel. "Vou continuar a liderar o governo por videoconferência enquanto lutamos contra este vírus", lê-se.

Apesar de as medidas preventivas terem sido reforçadas nos últimos dias, durante algum tempo a estratégia inicial do governo britânico para o combate à pandemia era pouco restritiva, confinando ao isolamento apenas os maiores grupos de risco. O plano rapidamente inverteu-se e a mensagem de Boris Johnson também, com o governante a pedir a todos os cidadãos que fiquem em casa, depois de ter ordenado o encerramento de escolas e outros serviços públicos.

O Reino Unido é o 8.º país com mais infetados em todo o mundo e o 4.º com mais mortes registadas. Totaliza atualmente 48 407 casos positivos e 4934 óbitos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG