Base nuclear secreta descoberta na Coreia do Norte

A revelação de que o regime de Kim Jong-un possui instalações secretas para o seu programa nuclear ocorre semanas antes de mais uma cimeira entre o líder norte-coreano e Donald Trump.

Especialistas revelaram um sitio não declarado que supostamente serve como sede de um dos programas de mísseis balísticos da Coreia do Norte, semanas antes de o líder do país, Kim Jong-un, e Donald Trump se encontrarem para discutir a desnuclearização do país.

Segundo um relatório do Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais (CSIS) em Washington, estas instalações ficam em Sino-ri, 212 quilómetros a norte da zona desmilitarizada. Abrigam mísseis Nodong de médio alcance, que poderiam ser usados ​​em ataques nucleares ou convencionais contra a Coreia do Sul, Japão e o território norte-americano de Guam.

A base operacional dos mísseis Sino-ri e os mísseis Nodong instalados neste local "fornecem uma capacidade nuclear ou convencional de primeiro ataque", lê-se no relatório.

A descoberta põe em causa as intenções da Coreia do Norte se desnuclearizar. Isto enquanto altos funcionários se reúnem na Suécia para preparar um segundo encontro entre Kim Jong-un e Donald Trump, o qual deverá ter lugar no final de fevereiro.

Os dois líderes fizeram desde que, em junho de 2018, em Singapura, Kim Jong-un assinou uma declaração com Trump contendo um vago compromisso de desnuclearização do seu país.

O CSIS afirma que as instalações de Sino-ri nunca foram declaradas pela Coreia do Norte e portanto nunca fizeram parte das negociações de desnuclearização.

O analista que assinou o relatório, Victor Cha, considerou que "os norte-coreanos não vão negociar bases que eles não revelam, parecendo estar a jogar [com os EUA]. Eles vão manter capacidade operacional mesmo que destruam as bases cuja existência reconheceram".

A base de Sino-ri poderá também tido um papel no desenvolvimento do míssel balístico Pukkuksong-2, testado pela primeira vez em fevereiro de 2017, pouco depois de Donald Trump ter iniciado funções na Casa Branca.

Fontes militares sul-coreanas e dos EUA disseram que têm "monitorizado" a base de Sino-ri e outras não reveladas pelas autoridades norte-coreanas.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG